Casa de câmbio cripto Mt. Gox abre reivindicações para credores solicitarem fundos perdidos

Credores da casa de câmbio cripto japonesa hackeada Mt. Gox começou a apresentar pedidos de reabilitação civil na quinta-feira, 23 de agosto, em uma nova tentativa de recuperar seus bitcoins perdidos.

Um processo on-line de submissão de sinistros liberado pelo fideicomissário Nobuaki Kobayashi detalha os vários pré-requisitos para os credores da casa de câmbio, que agora têm até 22 de outubro para entrar com o pedido.

A notícia segue a partir de uma atualização no início deste mês, em que funcionários esclareceram informações sobre os pagamentos finais e outras questões.

"Se a prova de reivindicação não for apresentada até o prazo, a privação de direitos (ou seja, a perda do direito de reivindicar) pode ser aplicada, por isso, tenha cuidado", adverte Kobayashi.

Em uma nuance adicional, aqueles que não têm acesso a suas contas da Mt. Gox devem enviar prova de seu direito a um endereço postal dado por Kobayashi. Todas as reclamações de clientes corporativos também devem ser feitas por correio, com a Kobayashi prometendo lançar uma opção on-line "assim que ela estiver pronta".

Credores que não submeteram reivindicações antes da falência da Mt. Gox se tornar um caso de reabilitação civil em junho deste ano aguardavam ansiosamente o início do processo.

O evento de junho ganhou uma recepção mista, apesar de os comentaristas reagirem com alívio quando Kobayashi confirmou que ele acabaria com as vendas massivas de Bitcoin que anteriormente caracterizavam o procedimento da Mt. Gox.

Essas grandes vendas supostamente fizeram com que os mercados ficassem instáveis desde elas que começaram em novembro de 2017.