Mike Novogratz acredita que grandes empresas de cartões de credito vão aceitar criptomoedas antes de 2022

Mike Novogratz, o fundador da Galaxy Digital, afirmou em uma entrevista à Bloomberg que grandes empresas de cartões de crédito como Visa e Mastercard deverão aceitar compras de criptomoedas com seus cartões antes de 2022.

A idéia de um cartão de crédito baseado em criptomoedas deixa muitos investidores animados, pois é uma das formas de torná-la mais acessível para o público geral - as criptomoedas precisam ser tão acessíveis quanto moedas nacionais. 

Uma das vantagens das moedas nacionais é que você pode anexar suas contas a um cartão de crédito físico, que pode ser usado em lojas e bancos em todo o mundo - com isso, não há necessidade de dinheiro e nem necessidade de lidar com dinheiro.

As criptomoedas funcionam com o mesmo princípio, embora ainda não existam cartões de crédito de criptomoedas com suporte bancário real. 

Novogratz acredita que tais cartões, emitidos por bancos tradicionais, estarão disponíveis nos próximos dois anos.

Ele afirmou que os bancos vão suspender a proibição de comprar criptomoedas com cartões de crédito antes de 2022 e disse acreditar que grandes empresas como Visa e Mastercard logo permitirão que os entusiastas de criptomoedas invistam com seus cartões. 

Na semana passada, a gigante de tecnologia Apple anunciou que seu novo cartão da Apple não pode ser usado para comprar equivalentes a dinheiro, como o Bitcoin. Mas Novogratz diz que essa proibição desaparecerá à medida que a criptomoeda se tornar cada vez mais dominante e a regulamentação se tornar mais rígida.

Novogratz complementou:

“Você tem exchanges que são reguladas. Existem os jogadores reais no jogo. Você está obtendo mais e mais canos - maneiras de as pessoas participarem. Aposto que nos próximos dois anos, a Mastercard e a Visa aceitarão o Bitcoin com seus cartões de crédito.”

Muitos especialistas também acreditam que o lançamento do Libra - a criptomoeda do Facebook - também terá um grande impacto nessa área. Alguns analistas esperam que, depois do lançamento da Libra, os bancos tradicionais também queiram uma fatia deste mercado. 

Apesar do alvoroço causado pela notícia da Libra, conforme reportado pelo Cointelegraph, o Facebook anunciou que pode ser que a moeda não seja lançada por causa de restrições regulatórias.