Duas novas patentes da Microsoft fundem tecnologia Blockchain com técnicas confiáveis de computação

Duas novas patentes da Microsoft revelam que a gigante de tecnologia está procurando fortalecer suas soluções blockchain com o uso de ambientes de execução confiáveis (TEEs), de acordo com dois relatórios publicados pelo Escritório de Marcas e Patentes dos EUA (USPTO) em 9 de agosto.

Ambas as aplicações descrevem como o uso de TEEs poderia melhorar ainda mais a segurança dentro de uma rede blockchain de consórcio, o que requer que nós específicos sejam endossados para atuar como nós validadores (VNs) no blockchain.

Como o primeiro registro de patente da Microsoft indica, os TEEs podem ajudar a melhorar a segurança de tais redes da seguinte maneira:

“Em um exemplo da tecnologia, um primeiro nó é endossado. Durante o endosso de um primeiro nó, um tipo pré-determinado de blockchain ou outro código de protocolo de segurança a ser autorizado e uma lista de membros pré-determinada podem ser armazenados em um ambiente de execução confiável (TEE) do primeiro nó.”

De acordo com a patente, não apenas um protocolo especificado ou lista de membros, mas potencialmente uma série de outros aspectos acordados poderiam ser armazenados dentro de um TEE. A patente, então, descreve como o uso de um sistema de atestados de TEE seria capaz de verificar com segurança todos os novos participantes do sistema que possuam informações correspondentes àquelas armazenadas no TEE do primeiro nó.

O segundo pedido de patente da Microsoft de 9 de agosto descreve como um TEE também pode facilitar a verificação de transações blockchain dentro de uma rede de consórcio. O mesmo sistema de atestado TEE geraria um ambiente suficientemente sem confiança no qual outros VNs na rede “não precisariam recalcular para verificação”, permitindo que uma determinada entidade pré-autorizada “diretamente” transmita o “estado oficial atualizado” de uma determinada transação processada:

“Em alguns exemplos, toda a rede aceita as transações, incluindo as transações chaincode, e os estados blockchain são atualizados diretamente. Em alguns exemplos, não há necessidade de uma cópia da transação para confirmar um bloco.”

Na semana passada, a Cointelegraph informou sobre a notícia de que o Azure, a plataforma de computação em nuvem da Microsoft baseada no Ethereum, havia substituído seu mecanismo de consenso de prova de trabalho (PoW) existente por um novo algoritmo de prova de autoridade (PoA). A Microsoft propôs que o novo algoritmo irá melhorar a eficiência da construção de aplicativos descentralizados (DApps) para redes de blockchain privadas ou de consórcio.