México se juntará ao clubes dos países com regulamentação de Bitcoin

O México, neste mês, apresentará uma proposta de legislação destinada a regulamentar seu setor de tecnologia financeira de rápido crescimento, incluindo empresas que utilizam criptomoedas como o Bitcoin.

O projeto de lei parece ter como objetivo proteger os clientes, além de estimular a concorrência nesta indústria em expansão. O México também espera, neste projeto de lei, garantir estabilidade financeira e defesa contra a lavagem de dinheiro e o financiamento de extremistas.

Crescimento massivo potencial na América Latina

O México vai se juntar a uma pequena lista de países, que incluem o Reino Unido e os EUA, que têm procurado ativamente regular não só as criptomoedas, mas também empresas fintech.

A esperança para as empresas Fintech é tentar romper em um enorme mercado potencial, já que mais de metade da forte população de 120 milhões de habitantes do México não tem conta bancária.

"Esta legislação reconhece a necessidade de um setor tão dinâmico como o da inovação tecnológica precisa de um quadro regulatório que permita às autoridades mitigar os riscos e permitir o crescimento em um ambiente competitivo", diz o projeto de lei.

O que está no projeto de lei?

O projeto de lei propõe estabelecer um conjunto claro de regras relativas à execução de empresas fintech, o que ajudará a reduzir custos e impulsionar a concorrência em um setor que inclui financiadores de crowdfunding e empresas de pagamento.

Além disso, haverá uma seção destinada a regular as empresas que operem com moedas digitais, como o Bitcoin. Não há muitos detalhes sobre isso, mas diz-se muito que vai sobrar para o banco central arbitrar tais ações.

"O regulamento é uma boa notícia para todas as empresas neste setor, porque ... o crescimento será maior com regras claras", disse Luis Ruben Chavez, fundador da empresa mexicana Yotepresto.

Crescimento maciço mexicano

O México é um grande mercado inexplorado globalmente, e especialmente na América Latina, onde lidera o caminho.

Em 2015, o número de empresas fintech chegou a cerca de 50, enquanto desde um ano antes da data atual de 2017, já apareceram 2401 empresas conhecidas na nova indústria.