MasterCard publica patente para acelerar a ativação de nós do blockchain

A MasterCard apresentou uma patente para um sistema que acelera a ativação de novos nós em uma blockchain, em uma aplicação publicado pelo Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) em 26 de abril.

A aplicação, que foi registrada pela primeira vez em 24 de outubro de 2016, destaca que a atual dificuldade de novos nós - um computador conectado à rede blockchain que armazena uma cópia do blockchain - é que eles precisam verificar individualmente uma grande quantidade de dados para ativar. A patente afirma que novos nós devem verificar “milhares, milhões ou até bilhões de registros de transações […] em um grande número de blocos diferentes” que podem ter se acumulado ao longo do tempo em um determinado blockchain, gerando um atraso significativo antes que cada novo nó possa começar a participar da rede.

A patente propõe uma solução técnica para navegação mais rápida, na qual “sinalizadores de fast track” seriam incluídos nos cabeçalhos de bloco, para que novos nós pudessem escanear e verificar o blockchain com maior velocidade:

“Um nó na rede blockchain […] pode navegar rapidamente pelo blockchain, identificando blocos que ativaram sinalizadores de fast track. Para verificação, o nó pode identificar o bloco fast track anterior (por exemplo, com base no timestamp) e hash que bloqueia […] e, em seguida, verificar se a referência fast track no bloco fast track mais recente é a mesma do hash anterior do bloco de via rápida.”

A patente também descreve o uso de software especificamente configurado para realizar operações de consulta, hashing e signatários, o que aumentaria ainda mais a eficiência do sistema.

A MasterCard Labs alegadamente já registrou mais de 30 "patentes relacionadas à tecnologia blockchain e criptomoeda" até o momento. Em 12 de abril, o USPTO  publicou um pedido de patente da MasterCard para armazenamento distribuído à prova de falsificação de dados de identidade em um sistema blockchain que evitaria abusos, como fraude de identidade. Em outubro de 2017, a empresa lançou um sistema blockchain que oferecia pagamentos business-to-business e enviou uma patente de tecnologia blockchain para pagamentos instantâneos um mês depois, em novembro de 2017.

No geral, a empresa parece ser vigorosamente pró-blockchain, e ainda antiBitcoin: em outubro de 2017, o CEO da empresa desprezou as criptos não governamentais como “lixo”. Em março, um executivo sênior da MasterCard reiterou que a empresa é receptiva apenas a moedas digitais emitidas por um banco central.