Malware criado em 2013 faz computadores brasileiros minerarem Bitcoin ilegalmente

A empresa de segurança ESET, com sede na Eslováquia, fez a descoberta de um malware que tem como alvo principal o uso dos recursos do computador ou dispositico infectado para a mineração de Bitcoins. A ameaça, ao que tudo indica, já está ativa desde 2013 e pode ser propagada por meio da infecção de dispositivos USBs, quando os mesmos são conectados aos computadores infectados.
Ao usar um pendrive com o malware presente, instala-se os componentes necessários para gerar bitcoins e comunicar-se com sua central de comando, por meio do protocolo HTTP. Dessa forma, o 
malware consegue ocultar as pastas e arquivos e substituí-los como atalhos, conseguindo, dessa forma, controlar a propagação em outras máquinas que possam ter um dispositivo USB conectado.

O malware já foi identificado no Brasil, Estados Unidos, Canadá e Peru e nos períodos de atividade mais intensa pode ter gerado mais de 138 bitcoins.
Segundo as palavras de Camillo Di Jorge, Presidente da ESET Brasil:“Temos visto um crescimento específico nas ameaças virtuais voltadas a atacar internautas brasileiros e da América Latina. E esse caso vem reforçar essa percepção”.

Para se precaver e não ser infectado pelo malware, vale as regras básicas, mas muito descumpridas pelos usuários em geral:
 - Não clique em nenhum tipo de link desconhecido;
 - Não aceite instalações de programas que a fonte não é conhecida, e que você não tenha plena confiança;
 - Desconfie de emails não esperados, mesmo que possa aparentemente ser de uma empresa que você tenha vínculo;
 - Tenha um sistema de defesa ativo em seu computador, como sistemas em soluções de segurança.