A Grande casa de câmbio cripto da Coréia do Sul, Coinone, será lançado na Indonésia

A terceira maior bolsa de criptomoedas da Coréia do Sul, a Coinone, anunciou planos para lançar uma bolsa na Indonésia, segundo comunicado divulgado em seu site na segunda-feira, 16 de abril.

Conforme declarado no comunicado à imprensa da Coinone, a nova filial da Indonésia foi aberta para pré-registro em 16 de abril, com um lançamento oficial marcado para junho. De acordo com a Finance Magnates, a bolsa suportará inicialmente seis moedas cripto: Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Ethereum (ETH), Ethereum Classic (ETC), Litecoin (LTC) e Quantum (QAU).

Os usuários com base fora da Indonésia poderão usar a plataforma após o período de pré-registro, mas precisarão passar por um processo de verificação KYC separado, de acordo com informações da empresa.

Coinone está atualmente na posição número 27 entre as bolsas de criptos no mundo, com um volume de negociação de 24 horas de US$49 milhões até o presente momento. A Finance Magnates informa que, de acordo com a bolsa, sua expansão no exterior a torna “a primeira entre as principais bolsas de criptomoedas na Coréia a entrar no mercado global”. Coinone explica que escolheu a Indonésia devido ao país ser “altamente considerado por seu crescimento potencial no setor de tecnologia financeira.”

Apesar da avaliação da empresa, a Indonésia tem um clima cripto relativamente forte. A partir de janeiro de 2018, seu banco central adotou uma postura dura, alertando os cidadãos contra a venda, compra ou troca de criptomoedas. Anteriormente, em outubro do ano passado, o banco reiterou que não reconhece o Bitcoin como um meio de pagamento legal, fazendo com que dois câmbios cripto fossem encerrados voluntariamente.

Em território nacional, Seul continua a regular ativamente a crescente esfera de criptomoedas do país. Em 9 de abril, o Cointelegraph informou que a Comissão de Serviços Financeiros da Coréia do Sul (FSC) inspecionou três bancos domésticos que atendem os câmbios de criptomoedas por cumprimento dos regulamentos anti-anonimato que foram introduzidos em janeiro. O Nonghyup Bank, parceiro de serviços da Coinone, está atualmente sob investigação como parte dessas medidas.