Grandes regiões produtoras de petróleo se movem para adotar o Blockchain em suas operações

Vários países nas maiores regiões produtoras de petróleo do mundo estão se movendo para adotar a tecnologia Blockchain em suas operações. Nos países do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), a corrida para adotar a tecnologia está sendo liderada pelos Emirados Árabes Unidos (EÁU).

Entre os projetos dos Emirados Árabes Unidos é a "Estratégia Dubai Blockchain", na qual a cidade inteligente de Dubai visa usar a tecnologia Blockchain em todas as suas agências governamentais até 2020.

De acordo com o Diretor Geral do Escritório do Smart Dubai, Dr. Aisha bin Bishr, eles estão certificando-se de que a tecnologia inovadora atenderá aos requisitos da cidade:

"Estamos assumindo a responsabilidade aqui em Dubai para garantir que moldemos essa tecnologia nascente e que isso aconteça de uma maneira que realmente se adapte às necessidades da cidade".

Perspectivas do Blockchain na indústria de petróleo

Na indústria do petróleo, o Blockchain está sendo considerado como uma possível solução para estabilizar os preços do petróleo.

A adoção da tecnologia no setor deverá saturar a demanda por eficiência e transparência pela maioria dos players da indústria.

A implementação de contratos inteligentes e contabilidades distribuídas também deverá impulsionar o setor para a era digital.

De acordo com Marco Dunand, CEO da Mercury suiça, a adoção da tecnologia Blockchain reduzirá consideravelmente a enorme papelada no setor de energia.

"O setor de energia terá que se digitalizar cada vez mais na produção, refinação e transporte de petróleo. Então, os comerciantes também terão que participar. É um processo pré-arcaico. Então, a introdução do Blockchain permitirá passar o título do comprador ao remetente para o vendedor sem passar pela enorme papelada de conhecimento de embarque marítimo".

A tecnologia também deverá facilitar a implementação de regulamentos na indústria.

À medida que o Blockchain aumenta a segurança e a acessibilidade dos dados das transações, surgirá um novo nível de comunicação e transparência em parcerias globais. Isso quase eliminará as ações complicadas e longos processos legais que normalmente são vistos em tais colaborações.