Um grande cliente de software da Ethereum atualiza-se em preparação para o hard fork Constantinopla

 

A atualização da Ethereum (ETH) Constantinople parece estar prosseguindo como planejado, já que um cliente de software Ethereum publicou um novo código que inclui um tempo de ativação de Constantinopla no GitHub em 11 de dezembro.

O post diz que Geth, que significa Go Ethereum, v1.8.20, é um lançamento especial que “finalmente” permitirá que o hard fork Constantinopla na mainnet Ethereum no bloco 7,080,000. Geth é uma das três implementações originais do protocolo Ethereum. A descrição afirma ainda:

“É também o nosso último lançamento planejado da família 1.8, o que significa que começaremos a mesclar as alterações incompatíveis com versões anteriores no mestre na preparação do Geth 1.9.0.”

 

Os principais desenvolvedores do Ethereum concordaram em lançar o tão esperado hard fork Constantinopla no bloco 7.080.000 na sexta-feira, 7 de dezembro. O próximo hard fork Constantinopla compreende cinco Ethereum Improvement Proposals (EIPs) para suavizar a transição da prova de trabalho (PoW) ao algoritmo de consenso de prova de participação (PoS) mais eficiente em termos energéticos.

PoS mudaria fundamentalmente o blockchain Ethereum por meio de uma série de novas atualizações, que impedem qualquer compatibilidade com versões anteriores. Isso significa que os nós devem ser atualizados sincronicamente com o sistema inteiro ou continuar executando como uma entidade blockchain separada.

O acordo de sexta-feira segue a decisão de adiar o hard fork Constantinopla para o final de janeiro de 2019 devido a um problema de “consenso” que apareceu durante um teste de upgrade na rede de teste de Ropsten em outubro.

Ontem, o cofundador da Ethereum Vitalik Buterin declarou que futuros blockchains com sharding baseados em PoS serão “milhares de vezes mais eficientes”. Buterin afirmou que, à medida que a escalabilidade avança (reduzindo as taxas) e a experiência do usuário fica melhor, aplicativos não financeiros tornar-se “uma parte maior da história”. Ele também observou que blockchains não são sobre “cortar custos computacionais”, mas sim aumentar os custos computacionais e, ao mesmo tempo, diminuir “custos sociais”.