'Mais de 1,5 milhão de Bitcoins foram perdidos', aponta relatório da CoinMetrics

Um novo relatório da empresa de análise de blockchain CoinMetrics mostrou que, apesar de já terem sido minerados 18 milhões de Bitcoins, o total em circulação é menor, já que existem cerca de 1.500.000 de Bitcoins que foram perdidos na rede.

O Bitcoin existe há mais de uma década e é facilmente o ativo digital mais popular do mundo. Uma das características mais interessantes da moeda é o fato de ela ser finita: nunca existirão mais de 21 milhões de BTCs - e esse valor fixo é atingido pela redução da recompensa dos mineradores, o chamado halving.

Este recurso, que controla a oferta do ativo, reduzirá pela metade as recompensas dos mineradores da rede do Bitcoin. De acordo com o código do Bitcoin, as recompensas de bloco são exatamente reduzidas pela metade a cada 210.000 blocos - o que geralmente leva cerca de 4 anos.

Atualmente, são 18 milhões de BTCs em circulação. Ou melhor, deveriam ser, já que o novo relatório da Coinmetrics afirma que há uma grande quantidade de Bitcoins perdidos na rede, que foram divididos pela empresa de análise em duas categorias: moedas "comprovadamente perdidas" e "supostamente perdidas".

Assim como o nome sugere, o primeiro grupo se refere a essas são moedas que se comprovam definitivamente perdidas por completo. Nesta categoria estão as moedas de gênese do Bitcoin. O relatório observa que o bloco de gênese do Bitcoin - o primeiro bloco da rede - inclui nele uma cunhagem de 50 BTCs.

Isso não foi contabilizado no conjunto de Saídas de transações não gastas (UTXO) da rede. A razão para isso não é clara, mas, conseqüentemente, essas moedas não estão disponíveis no livro de registro do Bitcoin.

Além disso, há uma menção às transações com base em moedas - a primeira transação em cada bloco - que foi duplicada duas vezes em 2012. Por mais "impossível" que seja ter transações duplicadas na rede, isso aconteceu.

As novas transações substituem as anteriores todas as vezes e isso também não foi contabilizado no conjunto UTXO, o que significa que outros 100 BTC não estão incluídos no suprimento de Bitcoins disponíveis.

Há também a possibilidade de recompensas não reclamadas. Basicamente, as mineradoras recebem recompensas por cada bloco minerado e a rede autentica os pagamentos para garantir que as mineradoras não aceitem mais do que a recompensa justa.

No entanto, a rede não verifica se as mineradoras estão requisitando uma recompensa menor e, por causa disso, mais de 30 BTCs foram perdidos.

Esta categoria contém "moedas-zumbis", que são moedas que não são exatamente perdidas, mas que nunca poderão ser recuperadas. Isso ocorre porque os proprietários desses ativos perderam suas chaves privadas e, consequentemente, o acesso a elas.

Supõe-se que cerca de 1.496.907 BTC foram perdidos dessa maneira após 2010, com outros 5.000 BTC que foram perdidos por endereços e bugs falsos.

O relatório sugere que uma cifra mais realista na época em que foram celebrados 18 milhões de Bitcoins na rede, esteja em torno de 16,3 milhões.

Uma carteira que não movimenta seus Bitcoins faz muito tempo é a carteira que possui BTCs roubados no famoso hack da exchange Mt. Gox. Como mostrou o Cointelegraph, esta carteira é o sexto endereço que possui mais Bitcoins na rede toda.