Indústria Logística: o Próximo Passo para a

Há uma nova adição à lista de indústrias que estão sendo conquistadas pelo inevitável avanço do Blockchain. Hoje, ele está se infiltrando na esfera da logística, o que parece ser um ajuste perfeito para a tecnologia. Este ano, testemunhamos que o mercado sinaliza o crescente interesse em como o Blockchain pode mudar as indústrias de logística e transporte.

Logística e Blockchain: um par perfeita

Blockchain, a tecnologia subjacente do Bitcoin, é, em sua essência, uma maneira muito segura e eficaz de compartilhar informações entre as partes. Ele cria um livro-razão digital imutável de transações que é mantido por uma rede distribuída de computadores.

O potencial de compartilhamento desta tecnologia, a arquitetura a prova de violações e a transparência completa tornam-no um instrumento perfeito para revolucionar a maneira como lidamos com as cadeias de suprimentos hoje.

Logística é definida como um quadro de planejamento para o gerenciamento de fluxos de materiais, serviços e informações. A logística de commodities físicas geralmente envolve a integração do fluxo de informações, transporte, armazenagem e, frequentemente, segurança.

As cadeias logísticas muitas vezes abrangem numerosos passos e centenas de locais geográficos. Compreensivelmente, isso torna cada vez mais difícil rastrear eventos em toda a cadeia, verificar e validar os produtos transportados e reagir rapidamente a circunstâncias imprevistas.

Além disso, devido à falta de transparência, torna-se extremamente difícil investigar atividades ilícitas que aconteçam em qualquer lugar ao longo da linha.

O Blockchain possui potencial para resolver todos os problemas acima mencionados. Sendo um livro-razão público transparente, oferecerá tanto aos clientes e auditores ferramentas simples e efetivas para rastrear toda a viagem que um produto demorou antes de chegar ao seu destino final. Um aspecto crucial do Blockchain é que ele só pode fornecer seus benefícios completos se todos os membros da cadeia logística tiverem acesso à rede.

Além de abordar questões específicas do setor, o Blockchain traz à mesa o pacote usual de benefícios instantâneos. Ele não só elimina os intermediários desnecessários e reduz consideravelmente o volume do fluxo de trabalho, mas também oferece a fabulosa segurança Blockchain, reduzindo os erros, evitando a rotulação equivocada de produtos ilícitos e outras tentativas de fraude.

Como um bônus resultante, este novo paradigma promete enormes vantagens de redução de custos para a indústria.

Até o presente, foram feitos vários esforços para integrar o Blockchain no setor de logística.

Implementação no mundo real: está acontecendo!

Em outubro de 2016, o Commonwealth Bank of Australia e a Wells Fargo - ambos membros do consórcio R3 - realizaram a primeira transação comercial global usando tecnologias de Blockchain e contratos inteligentes.

A transação envolveu uma remessa de US$ 35.000 de algodão do Texas, EUA para Qingdao, na China e começou com êxito, mas o projeto não teve um desenvolvimento rápido. Os bancos aparentemente estavam otimistas com relação à nova tecnologia, mas admitiram que ainda não estão prontos para entrar no "Blockchain total". Como Chris Lewis, gerente de serviços comerciais da Wells Fargo, observou que "importantes preocupações regulatórias, legais e outras ainda precisam ser abordadas".

Pouco depois, um projeto similar foi realizado pelo porto de Roterdã, um dos maiores portos de embarque da Europa. O esforço obteve apoio de uma série de organizações e universidades nos Países Baixos e está programado para um extenso período de testes para os próximos dois anos.

As empresas também estão testando as águas. A Maersk, a gigante do transporte dinamarquês, estava investigando as formas de digitalizar o fluxo de trabalho e gerenciar a carga da empresa com mais eficiência e transparência.

Em colaboração com a IBM, a Maersk está agora pesquisando sua própria implementação exclusiva da tecnologia Blockchain que se baseia no quadro Hyperledger Fabric, que permitirá rastrear a viagem de milhões de contêineres por ano e se integrar melhor com as autoridades aduaneiras.

A maior empresa de varejo dos EUA, o Walmart, também está empregando o Hyperledger Fabric, um quadro Blockchain hospedado pela Fundação Linux, em seu projeto piloto de tecnologia de livro-razão distribuído que rastreará a origem da carne de porco ma China e seu transporte e estocagem nos EUA.

Numerosas outras corporações (Amazon, Alibaba, Kestrel etc.) já mostraram interesse em usar o Blockchain para suas necessidades logísticas. No entanto, surpreendentemente, esta cena foi bastante vazia quando se tratava de stattups financiadas publicamente. Apenas dois desses projetos de nota apareceram, o primeiro sendo a Blockfreight e a segunda a A2B.

A Blockfreight é uma empresa australiana fundada por veteranos do setor, que trata do transporte de contêineres e atividades relacionadas. As características essenciais da Blockfreight são contratos inteligentes construídos no Blockchain do Ethereum e um token negociável BFT: XCP, que será usado para todas as transações dentro da rede Blockfreight. Isso permitirá que a plataforma rastreie todos os dados de envio e evite fraudes.

O limiar do crowdsale da Blockfreight foi fixado a uma meta modesta de US$ 1,9 milhão com tokens vendidos em várias rodadas consecutivas. Hoje, após mais de um ano em desenvolvimento, o projeto ainda está em fase de pesquisa e desenvolvimento experimental. Até agora o trabalho não passou do sistema de design e pesquisa da tecnologia subjacente.

A outra startup, a companhia da Europa Oriental A2B, está envolvida principalmente com os mercados de logística da Ucrânia e Bielorrússia. O A2B é um serviço que fornece comunicação direta entre os proprietários de carga e os agentes de transporte de mercadorias, lidando com a maior parte do volume de fluxo de trabalho, evitando as despesas de encaminhamento.

Seu novo modelo logístico não será construído a partir do zero, mas sim será projetado como uma síntese da plataforma e tecnologia Blockchain já abertas e totalmente operacionais A2B Direct. Os fundadores esperam que esta mudança permita um transporte internacional mais barato e fácil e deixe que empresas e clientes usem tanto fiduciários quanto criptomoedas.

A ICO da plataforma chega em 12 de julho e vai durar um mês. A A2B pretende levantar de € 0,5 a € 3 milhões, com totais mais altos, permitindo que a empresa se expanda para os mercados da Europa Ocidental e da América.

O caminho a seguir é claro

Como meio para a circulação de commodities global sem obstáculos e transparentes, as indústrias de transporte e logística são o sistema vascular do comércio global. Como qualquer outra indústria antiga, eles estão envolvidos com problemas e o paradigma revolucionário do Blockchain é uma forma de resolver muitos deles.

A introdução do Blockchain e contratos inteligentes na logística potencialmente oferece rastreabilidade de carga em tempo real, fluxo de trabalho reduzido e maior transparência. Uma vez construído, o Blockchain revela-se uma infraestrutura muito mais barata e segura com maior escalabilidade e facilidade de integração com outras indústrias.

A adoção do Blockchain na logística pode não ser suficientemente consistente no presente por causa dos riscos percebidos e do ceticismo, mas com cada projeto bem-sucedido o futuro se aproxima e podemos supor com segurança que, em vários anos, o Blockchain se espalhará pela indústria como um incêndio.


Siga-nos no Facebook