Carta de suposto advogado da Confido promete reembolso dos investidores da ICO

A Confido recentemente emitiu um comunicado em seu website, alegando que o dinheiro arrecadado pela empresa em sua oferta inicial de moedas (ICO) está sendo mantido em um fundo fiduciário até novo aviso.

A autenticidade da referida carta, bem como a de seu representante legal, ainda estão em xeque, considerando que as contas de redes sociais da empresa, juntamente com seu site, foram previamente derrubados.

Na referida carta, o suposto representante legal alegou que as pessoas que estão por trás do projeto Confido não têm intenção de fraudar os investidores. No entanto, o dinheiro arrecadado na ICO não é suficiente para promover a iniciativa, por isso seus desenvolvedores decidiram arquivá-lo para uma avaliação posterior.

Parte da carta dizia:

"Nosso cliente enfatiza que a Confido não é uma farsa e que nunca houve intenção de produzir desvantagem para qualquer investidor. No entanto, o projeto - apesar dos sonhos dos desenvolvedores - não é viável dentro do escopo dos resultados da ICO. Portanto, nosso cliente decidiu parar o desenvolvimento da Confido".

Breve perfil da Confido

O projeto pretendia disromper os serviços e as transações tradicionais. No entanto, após ter arrecadado cerca de US $ 375 mil por meio de uma ICO na plataforma chamada TokenLot, a empresa desapareceu repentinamente dos meios on-line. Todas as plataformas de redes sociais da startup como seu site ficaram completamente escuros.

Uma investigação de um canal de notícias também mostrou que o suposto Diretor Executivo (CEO) da Confido, Joost van Doorn, mentiu sobre seu histórico de emprego. Com base na sondagem, Van Doorn nunca foi um empregado da empresa de bebidas PepsiCo nem do varejista on-line alemão Zalando como afirmou anteriormente no site da Confido.

Reembolso prometido

Com base na carta, os investidores da Confido podem potencialmente ter a chance de recuperar o dinheiro que investiram na ICO. Resta saber, no entanto, se este será o caso nas próximas semanas, pois há muitas dúvidas quanto à autenticidade da referida carta.


Siga-nos no Facebook