Serviço Alfandegário da Coreia faz parceria com a Samsung SDS para construir plataforma de cliente blockchain

O Serviço Alfandegário da Coreia assinou um acordo com a Samsung SDS para implantar a tecnologia blockchain em seu sistema de desembaraço aduaneiro, de acordo com um comnicado de imprensa publicado em 14 de setembro.

A Samsung SDS, braço de TI da gigante de eletrônicos Samsung, desenvolverá uma plataforma baseada em blockchain baseada na Nexledger, que será usada para serviços de logística alfandegária de exportação. A Nexledger é uma plataforma blockchain projetada para fornecer uma solução integrada para empresas que buscam reduzir despesas ao gerenciar transações financeiras digitais e troca de dados.

O novo produto é supostamente destinado a organizações ativas em operações de exportação, permitindo-lhes agilizar e garantir o compartilhamento de documentos em cada etapa, desde declarações aduaneiras dos produtos exportados até a entrega, além de detectar e impedir o uso de documentos falsificados.

Juntamente com o serviço alfandegário da Coreia, quarenta e oito organizações diferentes, incluindo agências públicas, companhias de navegação e seguradoras também entraram no acordo.

A próxima plataforma não é o primeiro projeto logístico movido a blockchain desenvolvido pela Samsung SDS. Em junho, a empresa revelou a plataforma Cello 3.0, que combinará a tecnologia de inteligência artificial (IA) e o "know-how em logística" da empresa.

Em agosto, a Samsung SDS anunciou o lançamento do BankSign, uma ferramenta de certificação baseada em blockchain para bancos e um projeto conjunto com a Federação Coreana de Bancos. O BankSign supostamente permite que os clientes adquiram uma certificação que é válida por até três anos, substituindo o sistema de certificação existente, que requer renovação anual e registro e autenticação com cada banco individual.

A Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA também está buscando adotar o blockchain para seu sistema de rastreamento de embarque. A agência anunciou em agosto que vai lançar um teste ao vivo do sistema, cujos resultados definirão como blockchain é capaz de melhorar o processo de verificação dos certificados de origem dos parceiros do Acordo de Livre Comércio da América do Norte e América Central.