Plataforma blockchain do JPMorgan agrega 75 bancos multinacionais para "manter os pagamentos internos"

O JPMorgan expandiu sua plataforma de pagamento de blockchain para mais de 75 bancos multinacionais. O objetivo dos esforços combinados dos participantes é combater a concorrência de fora do setor bancário, informa o Financial Times em 25 de setembro.

Falando à publicação, o analista Jason Goldberg disse que a Interbank Information Network (IIN), em desenvolvimento desde outubro de 2017 no próprio blockchain do Quorum do JPMorgan, já estava vendo progresso.

Agora, a Societe Generale e o Santander estão entre as principais instituições que buscam adotar a plataforma, que permite aos bancos compartilhar informações de pagamento e acelerar transações problemáticas.

Ao resolver problemas por meio da transparência de informações confiáveis, os bancos podem competir com o setor privado emergente dedicado a processar pagamentos transfronteiriços mais rapidamente do que tradicionalmente podem.

"O pagamento é um dos segmentos em que os bancos mais se preocupam em ceder terreno à concorrência não bancária", disse Goldberg.

“Blockchain é uma maneira de manter mais disso (negócios de pagamentos) internamente”.

O JPMorgan é notoriamente avesso a riscos quando se trata de criptomoeda, com blockchain, no entanto, formando um foco central de sua unidade de inovação. Em agosto, a CIO Lori Beer, da empresa, previu que o blockchain "substituiria a tecnologia existente" em questão de "alguns anos".

O JPMorgan começou a testar o IIN em abril com parceiros como Goldman Sachs, Pfizer Inc e National Bank of Canada.