JP Morgan identifica três empresas cujas ações podem se beneficiar do blockchain

O banco de investimento e empresa de serviços financeiros J.P. Morgan Chase identificou três empresas públicas cujas ações acredita que serão beneficiadas por suas aplicações da tecnologia blockchain, informou a CNBC em 8 de novembro.

Em uma nota para os clientes, J.P. Morgan previu que as empresas de TI empregarão blockchain da mesma forma que muitas empresas afirmam se beneficiar do aprendizado de máquina e inteligência artificial (IA). Como o Cointelegraph informou ontem, algumas empresas começaram a cair usando o termo “blockchain”, pois acreditam que a palavra é exagerada e muitas vezes usada como jogada de marketing.

No entanto, J.P. Morgan delineou três empresas que receberão “oportunidades de crescimento material” a partir da tecnologia.

A J.P. Morgan acredita que dentre esses beneficiados estão, a fornecedora de serviços de rede e de fornecimento de conteúdo, a americana Akamai Technologies Inc., a empresa de serviços de gerenciamento de transações digitais e tecnologia de São Francisco DocuSign, e provedor de plataforma baseada em nuvem para a indústria de financiamento hipotecário Ellie Mae.

J.P. Morgan recomendou que os investidores “deveriam procurar identificar onde a oportunidade de substituir um intermediário é maior, ou onde é necessária confiança onde não existe, ou quais empresas estão mais bem posicionadas para oferecer blockchain como um serviço (BaaS)”.

O analista de pesquisa de capital de software da J.P. Morgan Sterling Auty explicou como cada empresa se ajusta aos critérios da J.P. Morgan. Auty supostamente disse que a Akamai poderia impulsionar seus negócios através do BaaS, já que muitos clientes prefeririam usar blockchain como um serviço do que desenvolver a tecnologia do zero.

DocuSign já pode se conectar a uma rede blockchain em seus sistemas. Especificamente, o DocuSign visa digitalizar todo o processo de contratação em sua plataforma. "Com o tempo, podemos ver muito da plataforma sendo baseada em blockchain, basicamente mudando seu modelo centralizado de segurança para o modelo distribuído de blockchain", disse Auty.

Em relação à terceira empresa, Ellie Mae, J.P. Morgan disse que o setor imobiliário é o caso de uso mais “óbvio” para blockchain. Auty supostamente comentou:

“A utilização do blockchain para gerenciar todo o processo de hipoteca poderia trazer confiança entre as partes e o uso de contratos inteligentes poderia ajudar a automatizar várias tarefas (inspeção, verificação de renda/emprego”.

Em outubro, um estudo das iniciativas de transformação digital do J.P. Morgan revelou que o blockchain é uma tecnologia fundamental para o roteiro do banco. O estudo cobriu o roteiro de transformação digital da empresa, com blockchain listado como o primeiro de uma série de tecnologias de ponta que estão sendo estudadas pelo banco - incluindo big data, nuvem, inteligência artificial e robótica.