John McAfee cobra $105.000 por tuíte para promover projetos de criptomoeda

John McAfee , programador de computador e fundador do software de antivírus de mesmo nome, que atraiu seu foco para a moeda digital nos últimos anos, divulgou que cobra $105.000 por tuíte para promover projetos e produtos sobre criptomoeda .

Na semana passada, a McAfee tuitou que a equipe do "McAfee Crypto Team" produziu e publicou um guia sobre como os tuítes promocionais funcionam em seu site. A Equipe é uma agência de marketing para promover ofertas iniciais de moedas (ICO) e outros projetos no setor de criptomoedas.

"Nós finalmente escrevemos como nossos tuítes promocionais funcionam. É auto-engrandecedor e transcende nosso ego, no entanto, se você está planejando uma ICO, tentando impulsionar uma moeda ou quer uma luz brilhante sobre o seu mais recente projeto, você deve ignorar nossos egos inchados e acessar: https: // mcafeecryptoteam. com / effect.html"

De acordo com dados fornecidos no guia, uma série de pesquisas realizadas pela McAfee revela que 259.000 de seus seguidores no Twitter “têm mais de 50% de seus ativos totais em criptomoedas” e 224.000 seguidores representam “no mínimo, $4,48 bilhões em investimentos em criptomoedas. ”

O site da McAfee oferece um cálculo simples da divisão do custo por tuíte, $105.000, pelos 810.000 seguidores do Twitter da McAfee para garantir a clientes potenciais que o “custo por investidor atingido” não é superior a $0,13, alegando: “Isso é menor do que qualquer outra abordagem." A McAfee supostamente promove apenas os produtos e serviços em que ele "acredita de verdade". “

"Moeda do dia:"

Notavelmente, quando perguntado em uma entrevista à Cointelegraph em Janeiro de 2018 se alguém havia tentado pagá-lo por promover seu projeto, a McAfee respondeu negativamente e evitou a pergunta:

“Eu diria que definitivamente tentaram me pagar. Não vou falar sobre minhas finanças pessoais onde ganho meu dinheiro ou de quem. Eu montei o meu palco como meu próprio negócio, e deveria ser o negócio de todos. E, na verdade, acho que é rude até mesmo fazer essas perguntas às pessoas. Sem ofensas".