Maior emissora de cartões de crédito do Japão aplicará blockchain em seu mercado B2B de US$ 10 trilhões

A principal emissora de cartões de crédito do Japão, JCB, planeja adotar uma nova solução de pagamento business-to-business (B2B) baseada na tecnologia blockchain.

A JCB assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com a plataforma de pagamentos comerciais baseada em blockchain Paystand, para desenvolver uma plataforma de pagamento digital para empresas e clientes no Japão, informou o Cointelegraph Japan em 20 de dezembro.

Iniciativa vai reduzir custos e atrasos associados à "tecnologia pré-Internet" no mercado B2B de US$ 10 trilhões no Japão

A parceria visa reduzir custos e atrasos associados à "tecnologia pré-internet" que ainda é praticada no mercado B2B de US$ 10 trilhões no Japão e que ainda é dominado por transações em dinheiro, disse Jeremy Almond, CEO da Paystand, em comunicado oficial. Segundo o executivo, apenas 1% dos pagamentos comerciais no Japão são feitos agora com cartão de crédito.

A parceria da Paystand com a JCB demonstra a crescente demanda por pagamentos movidos a tecnologia digital, observou Almond.

A nova ferramenta será supostamente implementada para também abordar algumas complicações no mercado de pagamentos B2B, associadas ao aumento do imposto sobre o consumo no Japão, adotado no início de outubro de 2019, observa o anúncio original.

Paystand expande seu projeto baseado em blockchain para a Ásia

A plataforma de pagamento baseada em blockchain do Paystand agora é adotada por mais de 150.000 empresas nos EUA, Canadá e México. Ao fazer a parceria com a JCB, a empresa aparentemente espera um forte impulso no mercado asiático, já que a Paystand estimou que os 130 milhões de clientes da JCB representassem uma participação de mercado de 80%, disse um porta-voz da Paystand em um email para o Cointelegraph.

Enquanto isso, a JCB deu alguns passos em direção à tecnologia blockchain. Em 2018, a empresa de cartão de crédito foi informada sobre o desenvolvimento de uma tecnologia que conecta redes separadas de blockchain para compartilhar seu excesso de capacidade, resolvendo problemas que surgem do tráfego pesado derivado da tecnologia.