A gigante tecnológica japonesa Sony oferece soluções para impulsionar o hardware Blockchain em duas patentes

A gigante japonesa de eletrônicos Sony registrou duas patentes para estimular ecossistemas baseados em blockchain, de acordo com os documentos 20180218027 e 20180219686, publicados pelo Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) em 2 de agosto.

Através das patentes, a Sony pretende melhorar o design e a estrutura do hardware blockchain, introduzindo novos circuitos nos processos de tecnologia de livro-razão distribuído.

O primeiro aplicativo, intitulado "Nó Eletrônico e Método para Manutenção de um Livro-razão Distribuído", descreve um dispositivo eletrônico para manter um blockchain baseado em múltiplos nós eletrônicos, incluindo vários blocos associados a pelo menos um dos blocos existentes.

A patente explica um esquema de adicionar novos blocos em um livro-razão distribuído em um formato compactado, o que contribui para o estabelecimento de uma maneira competitiva de nós que executam o processo de mineração, implicando que um bloco menor produzido pelo nó pode obter uma recompensa maior.

Na segunda patente "Dispositivo e Sistema", a Sony propõe uma maneira de manter um blockchain por múltiplos nós virtuais, sugerindo um mecanismo de acesso ao ledger distribuído através de pelo menos um desses nós.

Ao incorporar nós virtuais, a Sony pretende garantir a integridade do blockchain nos casos "em que o número de dispositivos é pequeno ou se torna pequeno", por exemplo, se vários dispositivos forem desativados.

Fundada em 1946, a Sony Corporation havia anteriormente prestado homenagem à crescente tecnologia de blockchain; no entanto, as patentes mais recentes são a primeira introdução da empresa em um sistema de hardware de livro-razão distribuído.

Em 2017, o conglomerado multinacional apresentou um pedido de patente para um sistema de autenticação de múltiplos fatores (MFA) alimentado por blockchain, propondo uma combinação de dois ledgers distribuídos diferentes para conduzir o processo de login.

Também em 2017, a Sony fez uma parceria com a gigante de tecnologia IBM para desenvolver uma plataforma educacional baseada em blockchain para fornecer compartilhamento seguro de registros de alunos.

Recentemente, a gigante de varejo americana Walmart solicitou uma patente sobre o gerenciamento de aparelhos inteligentes via blockchain, que manteria as chaves privadas para autorizar uma transação. No início de julho, o Bank of America (BoA) entrou com uma patente para um sistema de validação de dados com blockchain que oferece rastreamento de fontes de informação confirmando as transferências de recursos.