Regulador financeiro do Japão vai conduzir inspeções de 15 casas de cripto câmbio não registradas

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) realizará inspeções de 15 câmbios de criptomoedas que estão atualmente aguardando registro e isso logo após a invasão da Coincheck, a agência de notícias local The Japan Times noticiou hoje, 16 de fevereiro.

A casa de cripto câmbio sediada no Japão, a Coincheck, foi pirateada em 26 de janeiro e em torno de $530 mi em altcoin NEM foi roubado.

Como parte da legalização do Bitcoin (BTC) do Japão como método de pagamento em abril de 2017, as trocas cripto devem ser registradas pelo governo. As trocas de Criptos que operaram no Japão antes de abril de 2017 foram autorizadas a continuar as operações ao solicitar seu registro, diz The Japan Times.

A Coincheck, que não está registrada, mas cuja aplicação estava sob revisão no momento do hack, foi inspecionado pela FSA após o hack em 2 de fevereiro para garantir a proteção dos usuários.

A FSA também ordenou que todas as casas de câmbio de cripto no Japão enviassem um relatório do sistema de gerenciamento de riscos na sequência do hack. Depois de receber os relatórios das 16 bolsas registradas e 15 casas de câmbio não registradas do Japão, a FSA ordenou as inspeções no local das trocas não registradas. A Coincheck já enviou seu relatório à FSA em 13 de fevereiro.

O ministro dos Serviços Financeiros, Taro Aso, disse que as inspeções no local prestarão especial atenção às medidas de segurança do sistema informático e à gestão dos ativos do cliente, informou The Japan Times.