Segunda maior concessionária pública do Japão testa blockchain para negociação de créditos de energia renovável

A segunda maior concessionária de energia elétrica do Japão vai estender seu teste de um sistema movido à blockchain para transações de créditos de energia renovável.

De acordo com um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 9 de dezembro, a Kansai Electric Power Co. (KEPCO) vai estender seu teste de uma plataforma de negociação de energia renovável habilitada para blockchain desenvolvida pela empresa de tecnologia australiana Power Ledger.

Descentralização, descarbonização

Em 2018, o Japão foi o quinto maior consumidor de eletricidade do mundo, mas produziu apenas 17,5% de sua energia a partir de fontes renováveis.

Em maio deste ano, o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do país decidiu continuar sua venda de certificados de valor de combustíveis não-fósseis (NFVs). Isso dá aos comerciantes de energia a prova de que a parte da energia sob o certificado é gerada a partir de fontes de energia renováveis.

Os certificados também podem ser usados ​​para avaliar quais usinas de energia estão contribuindo com o maior valor ambiental, a fim de incentivar o investimento em indústrias verdes, e podem ser comercializados, da mesma forma que outras formas de certificados de energia renovável (CERs).

Um relatório local da EKOenergy de março afirmou que os certificados de energia existentes e os sistemas de crédito de carbono no Japão seguiam sendo "na melhor das hipóteses, complicados e fragmentados".

Sob os termos do novo contrato, a KEPCO usará a tecnologia da Power Ledger para criar, rastrear, comercializar e liquidar NFVs gerados por sistemas de placas solares posicionadas no telhado.

O sistema usa as propriedades imutáveis ​​e descentralizadas da tecnologia blockchain para rastrear certificados ao longo de seu ciclo de vida, reduzindo assim o potencial de uso duplicado. A Power Ledger gera os tokens REC, que são armazenados em uma carteira centralizada da KEPCO.

Um teste inicial bem-sucedido entre a KEPCO e a Power Ledger demonstrou que permitir que os produtores de energia comercializassem sua energia excedente por meio da plataforma era uma maneira eficiente de monetizar seus investimentos em energia renovável.

Isso ostensivamente ajuda a fornecer aos consumidores fontes de energia verde de baixo custo.

O novo teste permitirá que os clientes da KEPCO usem seus NFVs contra reclamações da RE100 - uma iniciativa global liderada pela organização sem fins lucrativos The Climate Group, em cooperação com a rede global de divulgação de pegada de carbono CDP.

A iniciativa aceita certificados de NFV, desde que tenham informações de rastreamento dos governos.

O teste está programado para começar em dezembro, com resultados esperados para março de 2020.

Iniciativas anteriores de CER na blockchain

Em junho deste ano, a maior fornecedora de energia da Coreia do Sul, a Korea Electric Power Corporation, assinou um contrato com dois fornecedores domésticos de energia para estabelecer um sistema de blockchain para a transação de CERs.

A empresa também anunciou no outono de 2018 que usaria blockchain e outras soluções inovadoras de energia para desenvolver sua microrrede de última geração.