Japoneses usam Blockchain para rastrear carne de caça

O Japão tem um problema com a vida selvagem. Tem muito disso. O javali japonês Inoshishi pode ser encontrado em partes do país que vão de Kyushu, Shikoku e Honshu. O cervo é outro problema de animal que está fora de controle no Japão, arruinando a folhagem ao passar pelo campo. Como o Japão é principalmente montanhoso, eles também são suscetíveis a contribuir para os deslizamentos de terra enquanto devoram tudo o que é verde. Os cervos também são um perigo ao tráfego e podem causar acidentes quando correm pelas estradas. O problema desse "excesso" de vida selvagem surgiu devido aos japoneses terem eliminado ospredadores naturais que existiam nas ilhas, como o lobo. O lobo japonês foi extinto em 1905, levando ao atual excesso de vida selvagem que está causando inúmeros problemas no país do Pacífico.

Se você não pode vencê-los - coma-os

O Ministério do Meio Ambiente tem muitas preocupações no Japão. De acordo com a Quartz, o Ministério afirma que o javali e o cervo, juntamente com outros animais selvagens, causaram um prejuízo estimado de US $ 20 bilhões (US $ 200 milhões) por ano desde 2009. No entanto, o Japão está envolvido com outro problema. Uma população humana desacelerada que leva a um país vazio. Os caçadores humanos desses animais também estão quase extintos. De acordo com o Japan Times, o número de caçadores licenciados no Japão caiu de um máximo de 518 mil em 1975 para 198 mil em 2011. Desse número, 66% ou 131,000 são maiores de 60 anos. A necessidade agora é comer mais desses animais antes de eles literalmente comam o campo limpo e verde do Japão.

Transformar um passivo em um bem com o Mijin Blockchain

O Mijin, um Blockchain privado da Tech Bureau, Japan, foi selecionado para rastrear a carne de caça dos campos ao prato do restaurante como um caso de uso pelo Ministério da Agricultura, Silvicultura e Pesca do Japão. O Mijin, que é um protocolo Blockchain da NEM, será usado para construir e armazenar os registros de transações da Japan Gibier Promotion Association. O objetivo final é garantir que os alimentos consumidos pelos clientes sejam seguros para o consumo e rastreáveis.

Uma declaração à imprensa disponibilizada à Cointelegraph traz algumas palavras de Takao Asayama, CEO da Tech Bureau, Corp., que diz: "Algumas comunidades rurais sofrem de superpopulação da vida selvagem, totalizando mais de US $ 178 milhões por ano. O poder da tecnologia Blockchain é que ele pode transformar um dos alimentos mais antigos em um bem para as comunidades locais"

txt

Blockchain Mijin na cadeia de suprimento de alimentos - Dados de produto/inventário A fábrica processadora registra os dados da carne no mijin - Cadeia de suprimento de informação Dados da transação na base de dados da cadeia de suprimentos - Restaurante/Consumidor O cliente final pode rastrear o histórico do produto - No caso de informação original do produto e seus dados de cadeia de suprimentos não combinarem, o novo sistema imediatamente emite um alerta. *o mijin garante a autenticidade dos dados e provê transparência verdadeira para todas as transações

Fonte: TechBureau

A afirmação acrescenta ainda: "Ao usar o Blockchain, a Japan Gibier Promotion Association determinará se os dados (data, ponto de trânsito, gerente, nome do item, quantidade, preço, etc.) da fábrica de processamento de carne de caça, estão gravados corretamente no Blockchain de forma visível e verificável, e se o sistema de alerta projetado para a detecção automática de dados falsificados está completo".

A confiança é a chave para ganhar consumidores japoneses

Os consumidores japoneses são conscientes da qualidade, e a tecnologia Blockchain pode atuar para trazer essa confiança à mesa. A Japan Gibier Promotion Association, criada em 2014, é responsável pela cultura e distribuição culinária no país. Eles promovem os padrões de caça e querem garantir um canal de distribuição seguro e saudável para a carne de animais selvagens.

Conversamos com Toshiharu Ishige, Secretário Executivo e Porta-voz da Japan Gibier Promotion Association, que ressaltou a necessidade de satisfazer as necessidades dos consumidores de carne de caça segura:

"No Japão, a segurança e a qualidade dos alimentos são avaliadas muito rigorosamente pelos consumidores finais. Portanto, esperamos que o mijin Blockchain desempenhe um papel importante - não apenas garantir a segurança alimentar, mas também proteger pessoas dedicadas que desejem promover uma nova culinária cultura".

A imutabilidade do Blockchain é uma garantia de segurança

A crise do frango em curso no Reino Unido e a forma como a falta de higiene e uma completa ruptura da rastreabilidade da carne foram expostas recentemente, sublinha a importância do porquê tecnologias como o Blockchain, que agregam um elemento de imutabilidade aos registros, são boas para a indústria de alimentos. O fato do Mijin ter sido implantado com sucesso por um governo pela primeira vez é um indicador claro de que as autoridades estão percebendo o potencial dessa tecnologia.

Espera-se que a associação inicie a implantação do mijin em outubro de 2017, e todo o sistema estará eventualmente disponível para uso em todo o Japão. Isso permitirá que a carne seja rastreada a partir do momento em que o animal é abatido até o momento em que é servido no restaurante. O Mijin permitirá um sistema transparente que seja inviolável e possa alertar automaticamente as partes interessadas se houver discrepâncias no livro-razão. Os consumidores japoneses podem agora descansar tranquilos de que a caça perecível que eles estão consumindo será de uma qualidade segura e, mais importante, verificável. Talvez este seja um modelo que outros países possam querer imitar também.


Siga-nos no Facebook