A gigante japonesa de TI GMO confirma lançamento da stablecoin GYEN apoiada pelo yen ainda em 2019

A Internet confirmou que a gigante de TI japonesa GMO planeja lançar sua stablecoin GYEN este ano, Cointelegraph Japan relatou hoje, 12 de fevereiro.

A notícia foi revelado durante uma apresentação de resultados aos investidores realizada hoje, após o lançamento dos resultados financeiros da

GMO para o ano fiscal que termina em 31 de dezembro de 2018.

O fundador e CEO da empresa, Masatoshi Kumagai, e o diretor financeiro, Masashi Yasuda, responderam às perguntas dos participantes. Após uma pergunta sobre a empresa anteriormente ter anunciado a stablecoin, um dos executivos respondeu:

“Com relação ao plano para lançar o GYEN como anunciado no ano passado, planejamos lançá-lo no exterior este ano.”

Os executivos da empresa também revelaram que a empresa montou uma subsidiária e nomeou uma pessoa responsável pelas operações da GYEN para emitir a stablecoin em 2019. A empresa observou ainda que será capaz de anunciar onde a stablecoin será emitida em breve.

Durante a apresentação, os executivos do GMO também disseram aos participantes que a empresa havia fechado uma de suas empresas no norte da Europa com sites de mineração, e que a realocação de outro site deve ser concluída até o final de 2019. Enquanto a nova localização é mantida em sigilo pela empresa, os executivos alegaram que o custo de eletricidade local “é menos da metade do que no norte da Europa, que é 7-8 centavos por kWh, incluindo os custos correntes. ”Eles concluíram:

"Acreditamos que a realocação afetará nossos ganhos neste verão".

Como descrito nos ganhos no relatório GMO do ano passado, no último trimestre de 2018, a empresa informou 2,3 ​​bilhões de yens japoneses (cerca de US$ 20,8 milhões) em receita para seu segmento focado em criptomoeda.

Os ganhos relacionados a criptos do GMO naquele trimestre são 12% menores do que os relatados no 3º trimestre 2018 e quase 14% menores do que a receita relatou no 2º trimestre 2018.

Ainda assim, o montante ganho pela empresa por meio de sua atividade de criptomoeda - composta por uma cripto exchange e operações de mineração - no 4º trimestre de 2018 é quase 73% maior do que os 635 milhões de yens (cerca de US$ 5,7 milhões) registrados no 1º trimestre de 2018.

No entanto, os resultados financeiros que a GMO relatou é de “lucro atribuível aos proprietários da controladora” para 2018  de 20,7 bilhões de yens negativos (cerca de US$ 187 milhões em perdas), comparado a um lucro de 8 bilhões de yens em 2017.

A razão para esse desempenho, de acordo com o documento, é atribuída à “perda extraordinária de 35,385 milhões de yens relacionados à reestruturação do negócio de mineração com criptomoeda”.

Esta declaração está de acordo com uma recente divulgação mensal relativa às operações de mineração de criptos na GMO, que relatou um forte impacto na receita geral de mineração. No entanto, como a empresa explicou na época, mesmo com o faturamento global da mineração, as recompensas da mineradora Bitcoin aumentaram consistentemente ao longo do tempo.

Como a Cointelegraph relatou em novembro, o relatório do 3º trimestre da GMO para 2018 revelou um “desempenho histórico” de seus setores relacionados com criptos, apesar “do ambiente externo severo.”

Em uma iniciativa semelhante à moeda GYEN da GMO, a empresa sediada na Coreia do Sul no ramo de FinTech, a Bxb Inc., lançou o que é supostamente o primeiro stablecoin apoiado pelo won coreano no final de janeiro.