A japonesa FSA inspeciona a recente invasão da casa de câmbio Coincheck

O ministro das Finanças do Japão, Taro Aso, confirmou que as autoridades examinaram a casa de câmbio de criptomoedas recém-hackeada Coincheck na sexta-feira, 2 de fevereiro, para "garantir a proteção dos usuários".

A Agência de Serviços Financeiros do país (FSA) realizou a operação antes de um prazo - definido para o final deste mês - para que a Coincheck envie um relatório dos $530 milhões hackeados na última sexta-feira, 26 de janeiro.

Parte de um pacote de medidas corretivas que os reguladores exigem da empresa, o relatório do roubo deve esclarecer as falhas de segurança que alegadamente permitiram que os hackers roubassem meio bilhão em NEM das contas em questão de horas.

De acordo com o jornal local, The Japan Times, a FSA disse hoje que ordenou que todas as casas de câmbios de criptomoedas no país apresentassem um relatório sobre seus sistemas de gerenciamento de risco. 

A Coincheck e NEM, enquanto isso, continuam a batalhar contra o próprio roubo - o Cointelegraph informou em 27 de janeiro, que a Coincheck prometeu reembolsar todos os fundos roubados. Em 30 de janeiro, a equipe do NEM relatou que algumas das moedas roubadas estão sendo movimentadas para diferentes endereços.