Japão: Coincheck conclui acréscimos de token de Ripple e relançamento do Factom

A casa de câmbio japonesa hackeada Coincheck começou a negociar uma ampla gama de ativos em 26 de novembro, confirmou um comunicado de imprensa, dez meses depois de ter roubados fundos no valor de mais de US $ 530 milhões.

O Monex Group, corretor da Internet que comprou a casa de câmbio hackeada em março por cerca de US $ 33,5 milhões, fez o anúncio após meses de medidas corretivas e melhorias de segurança.

O lançamento da negociação de tokens Ripple (XRP) e Factom (FCT) significa que a Coincheck está agora operando serviços para todas as “criptomoedas comerciáveis” na plataforma.

"A Coincheck está em constante retomada, já que a segurança técnica de cada serviço é confirmada por meio de suporte de especialistas externos", afirmou o comunicado, acrescentando:

"A partir do anúncio hoje sobre XRP e FCT, a Coincheck retomou os serviços de depósito e compra de todas as criptomoedas negociáveis na Coincheck."

Vários outros serviços, incluindo transações alavancadas e um serviço de afiliados, serão lançados no devido tempo, acrescentou a Monex.

Duas semanas antes, a Coincheck havia retomado a negociação do NEM (XEM), o token que sofreu o impacto de suas perdas, enquanto outras funcionalidades foram restauradas no final de outubro.

Na semana passada, a Zaif, outra plataforma japonesa que perdeu cerca de US $ 60 milhões em setembro deste ano devido a uma invasão, concului sua entrega ao novo proprietário Fisco, informando que planejava começar a compensar os clientes antes do final de novembro.