Minerador de criptomoedas israelense será excluído da Bolsa de Valores de Tel Aviv devido ao mercado de ursos

 

A empresa israelense de mineração de criptomoedas Bitfarms será excluída da Bolsa de Valores de Tel Aviv devido às perdas causadas pelo mercado cripto no ano passado, informou o site de notícias locais Globes em 1º de abril.

A Bitfarms - anteriormente conhecida como Blockchain Mining - supostamente perdeu US$ 23,1 milhões no segundo semestre de 2018, enquanto seu lucro líquido foi de apenas US$ 4,9 milhões nos dois primeiros trimestres. A receita da empresa teria encolhido 48% no segundo semestre, caindo de US$ 22,3 milhões para US$ 11,5 milhões.

A empresa justificou a queda de receita com a queda do preço do Bitcoin (BTC), bem como o aumento de 81% na dificuldade de mineração. Embora o preço das ações da Bitfarms tenha subido quase 80% desde o início do ano passado, ela ainda está 90% mais baixa do que em dezembro de 2017.

Na semana passada, a Bitfarms entrou com um prospecto preliminar na Comissão de Valores Mobiliários de Ontário com o objetivo de ser listado na Bolsa de Valores de Toronto. O CFO da Bitfarms, John Rim, disse que “apesar dos desafios, através do reinvestimento contínuo do fluxo de caixa gerado pelas nossas operações, planejamento financeiro cuidadoso e execução disciplinada, conseguimos atingir muitos objetivos de crescimento operacional em 2018”.

Em novembro do ano passado, os mercados de criptomoedas sofreram uma forte queda não vista em mais de um ano, quando a Bitcoin caiu abaixo do preço de US$ 5.600 pela primeira vez em 2018.

Em dezembro passado, a Cointelegraph informou que a Bitmain, gigante do setor de criptomoeda, decidiu fechar seu centro de desenvolvimento em Israel e demitir funcionários locais, além de reduzir suas operações na Holanda em janeiro. Gadi Glikberg, chefe da filial israelense e vice-presidente de vendas e marketing internacional da Bitmain, vinculou o fechamento ao colapso do mercado de criptos:

"O mercado de criptomoedas sofreu uma reviravolta nos últimos meses, o que forçou a Bitmain a examinar suas diversas atividades em todo o mundo e a reorientar seus negócios de acordo com a situação atual."