O CryptoRuble voltou? Lançamento previsto para meados de 2019, diz associação russa da Blockchain

A "Russian Association of Cryptocurrency and Blockchain" (RACIB) (Associação Russa de criptomoedas e Blockchain) anunciou que a idéia do governo sobre uma criptomoeda emitida pelo estado, chamada de CryptoRuble, será lançada em meados de 2019.

O governo russo tem estado indeciso sobre lançar o CryptoRuble (conhecido anteriormente como o Bitruble) desde 2015. No final de dezembro de 2017, durante uma reunião sobre legislação para moedas digitais, o vice-ministro das Finanças e o primeiro vice-governador do Banco Central da Rússia declararam que não achavam que era necessário que o Estado emitisse o sua própria criptomoeda.

De acordo com Arseniy Sheltsin, o chefe do RACIB, os detalhes do projeto CryptoRuble serão oficialmente apresentados e discutidos em julho de 2018, e a moeda em si deve ser emitida um ano depois. O Governo e o Banco Central da Rússia também podem preparar medidas regulatórias para as Ofertas iniciais de criptomoedas ou conhecidos como (ICOs) e para a mineração de criptomoedas até julho de 2018.

No início de 2018, um dos conselheiros do presidente Putin observou que o CryptoRuble poderia ajudar o governo russo a fortalecer a economia, evitando o impacto de sanções internacionais contra o país.

De acordo com a revista russa Forklog, a moeda deve ser vinculada ao rublo, não minerável, e será a única criptomoeda legal no país. O governo espera que o CryptoRuble atraia investimentos estrangeiros em criptomoedas.

No geral, os maiores líderes do governo russo mantiveram pareceres mistos no lado negativo em relação a criptomoeda. Em uma conferência de imprensa em 12 de janeiro, Putin declarou:

"É sabido que não há nada por trás da criptomoeda, e não pode ser um deposito de valor, não tem nenhum valor material, e não é apoiado por nada ..."

O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, também criticou recentemente as criptomoedas no Gaidar's Forum, em Moscou. Ele comparou a tendência da moeda virtual com a bolha do ponto.com e sugeriu que a maioria das criptomoedas provavelmente deixaria de existir, enquanto a tecnologia Blockchain permanecerá, declarando:

"Não podemos excluir completamente o cenário que ocorreu no início dos anos 90, quando muitas empresas surgiram com base na tecnologia de Internet em desenvolvimento e, no início dos anos 2000, essas empresas, ou muitas delas, desapareceram de cena.  No entanto, a tecnologia em si não só sobreviveu, mas atualmente desempenha um papel importante em nossa vida. De uma maneira provável, as criptomoedas podem desaparecer em vários anos, mas a tecnologia que está por trás delas, ou seja a Blockchain, passará a ser parte de nossa realidade cotidiana. Este cenário não pode ser negado,"

Em resposta à recente crítica do governo russo às criptomoedas, o CEO e presidente da Diretoria Executiva do maior banco russo, o Sberbank, Herman Gref pediu às autoridades para não proibir as moedas virtuais. Gref considera as criptomoedas e a Blockchain como as "novas tecnologias" cujo poder não pode ser compreendido no momento." Ele também declarou, "em nenhuma circunstância, a [criptomoeda] deve ser banida".

Vários outros países também anunciaram planos para apresentar suas criptomoedas emitidas pelo estado, como a Venezuela e o Senegal.