IOTA implementa validação de transação descentralizada para substituir a versão centralizada

O Iota (IOTA), rede blockchain de Internet das Coisas (IoT), completou os preparativos para descentralizar ainda mais a validação de suas transações, informou o Cointelegraph Auf Deutsch em 28 de maio.

De acordo com um comunicado de imprensa e um post de blog da empresa, seu mecanismo Coordinator será descartado e dará espaço a uma nova ferramenta, batizada "Coordicide".

Como seu predecessor, o Coordicide gerenciará a segurança das transações, assegurando o processo de transações e que os mesmos fundos não sejam gastos duas vezes (os chamados gastos duplos).

Segundo os executivos, a medida marca um passo importante para a descentralização completa da IOTA, que já havia enfatizado que seu coordenador era um dispositivo temporário.

“Temos trabalhado para a substituição do Coordinator desde o início do IOTA. Agora, com a maturidade e crescimento do protocolo e a qualidade de nossa equipe de pesquisa, estamos concretizando essa promessa”, comentou David Sønstebø, cofundador da operadora da IOTA Foundation, no comunicado à imprensa. Ele adicionou:

“O IOTA foi projetado para lidar com as limitações da blockchain com uma solução robusta e escalável. Isso agora está se tornando uma realidade. Com este grande marco, estamos prontos para acelerar nossa próxima fase de crescimento e adoção corporativa no mundo real.”

O token de criptomoeda interno da empresa saltou em torno de 18% com a notícia, que seguiu os ganhos anteriores com o contrato com a montadora britânica Jaguar Land Rover no final do mês passado.

Atualmente, o par IOTA/USD é negociado a pouco mais de US$ 0,50, queda de 90% em relação à alta recorde de US$ 5,23 de dezembro de 2017.

Um whitepaper acessível ao público para o Coordicide também foi lançado.