Índia lança projeto de blockchain para aprimorar eficiência na gestão de resíduos

A Corporação Municipal de Bangalore, Bruhat Bengaluru Mahanagara Paike (BBMP), agência responsável pelos beneficios sociais e infraestrutura pública na área metropolitana da grande cidade da Índia, anunciou planos para lançar um piloto de tecnologia de contabilidade distribuída (DLT) que abordará alguns dos desafios da gestão de resíduos na região. 

De acordo com um recente relatório da IndianWeb2, o BBMP uniu forças com a CITAG (Citizen Involved & Technology Assisted Governance), uma organização local sem fins lucrativos, para testar uma solução blockchain que poderia promover transparência e responsabilidade no sistema de gerenciamento de resíduos da região.

Segundo o relatório, a quantidade de resíduos produzidos em Bangalore diariamente atingiu níveis perigosos, e a cidade está agora procurando usar a tecnologia blockchain para fortalecer seu sistema de gestão de lixo, tornando-o mais transparente, ao mesmo tempo em que estimula a prestação de contas.

A partir de junho de 2019, os moradores poderiam postar todas as reclamações referentes ao gerenciamento de resíduos on-line, e as informações referentes a todo o processo de descarte de resíduos estariam disponíveis para todos.

O texto ainda diz que a equipe acredita firmemente que, como os dados serão registrados em um livro distribuído descentralizado, os funcionários responsáveis pela coleta de lixo na região sempre responderão às reclamações das pessoas prontamente, sabendo atividade estaria visível e acessível para o público.

O piloto da blockchain será financiado pela CITAG, em colaboração com o Capitão Manivannan, um oficial sênior da IAS (Indian Administrative Service), baseado em Karnataka. Comentando a iniciativa, Randeep D, Comissário Especial do BBMP, disse:

“A CITAG nos enviou uma proposta declarando que financiaria o desenvolvimento de um sistema de reclamações baseado em blockchain. A tecnologia Blockchain tornará a prova inviolável, e todos os jogadores na plataforma poderão ver as ações tomadas pelos oficiais para lidar com reclamações relacionadas à eliminação de resíduos. Diferentes fases da reparação serão visíveis ao público. ”

Se o piloto blockchain for bem sucedido, a equipe expandiria e integraria o plano nas operações de gerenciamento de resíduos de outras cidades da Índia.

Embora a Índia venha crescendo sua atividade rumo a adoção do blockchain como ferramenta de eficiência em gerenciamento, o ambiente regulatório ainda é incerto no país. Conforme relatado no mês passado pela Cointelegraph, o país viu recentemente uma onda de protestos pedindo mais liberdade para os cidadãos nas negociações de criptomoedas.