No despertar do banimento da China da ICO, Japão, Cingapura e EUA dão uma segunda olhada nas criptos

Algumas das principais economias do mundo estão examinando como o mercado de criptomoedas deve ser regulado em suas respectivas regiões.

Ao invés de proibir totalmente as ICOs, as autoridades monetárias e reguladores desses países estão buscando como controlar, mas não sufocar completamente, o crescimento das moedas digitais.

A dor de cabeça para muitas agências é, porém, descobrir qual seria a maneira correta de fazer isso. Devido à natureza alternativa das criptomoedas, muitos reguladores lutam para classificá-la nas mesmas políticas que os ativos de investimento tradicionais.

Japão deve introduzir uma supervisão mais rigorosa sobre as casas de câmbio de criptomoedas em outubro deste ano, mas os reguladores ainda estão chegando a formas de fazer isso de forma eficiente sem matar o crescimento da indústria.

Financial Services Agency

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) está observando como manejar as ICOs para reduzir a lavagem de dinheiro e fraude. Isso inclui estabelecer regras de contabilidade específicas sobre como tratar as transações em criptomoedas. 

Monetary Authority of Singapore

Enquanto isso, o MAS, a Autoridade Monetária de Cingapura, disse em um memorando em agosto que pretende regular a venda de criptomoedas se se relacionar com produtos sob sua regulamentação de valores mobiliários. A principal preocupação é o potencial de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo através do processo de ICO.

O memorando afirma:

"As ICOs são vulneráveis aos riscos de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (ML/TF) devido à natureza anônima das transações e à facilidade com que grandes somas de dinheiro podem ser arrecadadas em um curto período de tempo".

 

Da mesma forma, as diretrizes do site da US Securities and Exchange Commission (SEC) exigem dos compradores de tokens digitais que estejam vigilantes e forneça-lhes formas de identificar esquemas de investimento que possam ser utilizados para fins nefastos.

A maioria dos reguladores percebe que não existe nenhum benefício real em proibir completamente as criptomoedas devido às vantagens econômicas que elas possuem, nem é possível. Eles terão que desligar a Internet. Em vez disso, o que eles procuram fazer é concentrar-se em uma área onde eles podem exercer alguma forma de controle. E esta área parece ser onde as moedas digitais encontram as moedas fiduciárias, ou seja, casas de câmbio de criptomoedas.