Aparentemente pela primeira vez, High Times aceitará cripto em sua oferta pública inicial

A High Times Holding Corp. aceitará criptomoedas em sua Oferta Pública Inicial (IPO), informou a High Times em 2 de agosto. Ao fazer isso, será declaradamente a “primeira oferta tradicional de ações a aceitar investimentos” em criptomoedas.

A "fonte proeminente de informações sobre a maconha desde 1974" aceitará Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) em um esforço para lançar uma rede mais ampla na atração de investidores para a empresa. O CEO da High Times, Adam Levin, disse:

“Embora não acreditássemos que o processo da ICO [Oferta Inicial de Moedas] fosse o movimento certo para a nossa marca, seria tolice deixar essa base de investidores emergentes à medida que continuamos a nos transformar em uma mídia diversificada gigante de eventos e mercadorias."

Antes da IPO, a High Times entrou com um relatório da Regulação A+ junto à Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA. O relatório detalha US $ 29 milhões de dólares em redução de patrimônio líquido negativo, redução da dívida e redução nas perdas operacionais.

Após uma mudança na regra da SEC em 2015, o Regulamento A + permite que startups e pequenas empresas “usem uma 'mini' [IPO]” para atrair clientes para se tornarem investidores em potencial. Sob o regulamento, as pequenas empresas podem coletar até US $ 50 milhões de membros do público.

Antes da mudança de regra, as empresas privadas só podiam buscar investimentos de investidores credenciados, que geralmente são a menor e mais rica parcela da população. Os investidores poderão comprar ações da High Times por US $ 11, um preço que a organização afirma ser um desconto de 10% sobre o preço de exercício quando for listado na Nasdaq ainda este ano.

Levin disse que aceitar cripto faz parte da missão da organização de estar “na vanguarda da cultura popular… não apenas como uma das primeiras marcas relacionadas à cannabis a se tornar pública na Nasdaq, mas também como a primeira a permitir Bitcoin e Ethereum como parte do nosso levantamento de capital público.”

As criptomoedas já foram vistas como um tônico para os problemas bancários da indústria de cannabis dos EUA. Embora as iniciativas eleitorais estaduais tenham feito o uso de maconha legal em vários estados, os bancos com apoio federal se recusam a oferecer serviços para as empresas de maconha. Enquanto os clientes preferem pagar com cartões, os dispensários estão limitados a aceitar apenas dinheiro, o que também faz deles um alvo de ladrões.

No ano passado, a rede Dash começou a implementar o Dash como uma opção de pagamento nos dispositivos de ponto de venda (POS) da indústria de cannabis. Ao fazê-lo, o Dash supostamente pretende salvar a indústria de 10 a 15 por cento, já que a diminuição do fluxo de papel-moeda irá frustrar a necessidade de carros blindados, caixas de dinheiro, cofres e guardas.