IBM e líderes da indústria de joias usarão o Blockchain para rastrear a origem dos diamantes

Líderes da indústria de ouro e diamantes se uniram à IBM para desenvolver uma rede blockchain para rastrear a origem de peças acabadas de joalheria, anunciou a IBM em uma postagem de blog em 26 de abril.

A TrustChain Initiative é uma parceria entre a refinaria de metais preciosos Asahi Refining, a joalheria Helzberg Diamonds, o fornecedor de metais preciosos LeachGarner, o fabricante de joias The Richline Group e o serviço de verificação independente UL. A medida visa proporcionar maior transparência em toda a cadeia de suprimentos.

Com base na Plataforma Blockchain IBM e no Projeto Hyperledger, a iniciativa é concebida para rastrear e autenticar diamantes e metais preciosos de seu local de origem a seu local de varejo. Ele fornece "verificação digital, verificação de produtos e processos físicos e supervisão de terceiros", com o objetivo de garantir aos clientes que suas compras de joias são de origem ética. Bridget van Kralingen, Vice-Presidente Sênior de Indústrias Globais, Plataformas e Blockchain da IBM, disse:

“Os consumidores se importam profundamente com a qualidade e a origem das joias que compram. Isto é evidenciado pelo fato de que 66% dos consumidores globalmente estão dispostos a gastar mais para apoiar marcas sustentáveis. O TrustChain é um exemplo de como o blockchain está transformando indústrias por meio da transparência e de novos modelos de negócios viáveis que beneficiam especificamente o consumidor”.

Ao aplicar a tecnologia, o consórcio das empresas pretende digitalizar processos, estabelecer um registro imutável e compartilhado de transações dentro da rede e permitir o acesso a dados confiáveis em tempo real. Mark Hanna, diretor de marketing do Richline Group, comentou a iniciativa:

“O TrustChain é o primeiro blockchain desse tipo dentro do nosso setor, projetado como uma solução que une a tecnologia blockchain líder da IBM com fornecimento responsável, verificação e governança por organizações terceirizadas, liderada pela UL como administrador”.

De acordo com o anúncio, o produto estará disponível para os consumidores de joias até o final do ano.

No início deste ano, a produtora canadense de diamantes, Lucara Diamond, comprou uma plataforma digital, a Clara Diamond Solutions, que usa a tecnologia blockchain para rastrear a origem dos diamantes.

A ONG canadense Impact deixou a iniciativa do Processo Kimberly em janeiro deste ano. A iniciativa blockchain da De Beers tinha como objetivo garantir que os diamantes fossem livres de conflitos, mas a Impact achou que o programa não estava à altura de seus objetivos, dizendo que “não há garantia significativa de que um diamante é livre de conflitos [...] público está se enganado achando que o problema está resolvido”.

No mês passado, a produtora de refrigerantes Coca-Cola se uniu ao Departamento de Estado dos EUA e a outras três empresas para lançar um projeto que utiliza blockchain para resolver o problema do trabalho forçado. O projeto usará um livro-razão distribuído para criar um registro seguro para trabalhadores e contratos.