Como campeão do varejo de Bitcoin lida com preços voláteis

Com o Bitcoin quadruplicando seu valor apenas este ano, sua volatilidade está dificultando as vendas dos varejistas que recuaram, apesar de seu movimento para o mainstream. No entanto, a Overstock.com não está incomodada, pois tem planos para lidar com essas mudanças.

A política da Overstock com o Bitcoin que recebe da sua loja on-line é manter a metade e transformar a outra metade em dólares. Isso efetivamente lhes dá uma reserva de Bitcoin como um investimento, que atualmente está pagando muito bem.

Difícil ser uma moeda

Desenvolvido para ser uma moeda, é o sucesso da Bitcoin que o está dificultando neste departamento, pois ser uma reserva de valor é muito mais sedutor para os investidores.

O desejo de gastar o Bitcoin on-line não é forte, pelo fato de que pode dobrar seu valor em menos de um mês. Para os varejistas isso também é um problema.

A moeda flutuante é uma coisa real, para fiduciários e varejistas, mas são as violentas agistações que definem o Bitcoin o Bitcoin como problemático.

Grande crente

A Overstock.com foi uma das maiores crentes e campeãs do Bitcoin no espaço de varejo, desde que começou a aceitar a moeda digital em 2014.

No início, a Overstock embolsava 10% da venda em Bitcoin e convertia o resto em dólares norte-americanos para facilitar a transação. A parceria da Overstock com a Coinbase os viu converter a moeda digital em tempo real.

No entanto, isso poderia ter funcionado quando o Bitcoin estava sendo negociando a cerca de US$ 400, mas desde que cresceu em 1000 por cento em 2017, a Overstock mudou de tom para aproveitar esse crescimento exponencial.

Mantenha a metade

O CEO da Overstock, Patrick Byrne, explica:

"O que fazemos agora é que 50% são transformados em dólares americanos e 50% são mantidos como Bitcoin. Então estamos acumulando esse Bitcoin".

"Apenas acumulando metade, isso parece o número certo por enquanto", disse Byrne.

Na sua opinião, o risco não é tanto no Bitcoin, mas na moeda do governo.

A Overstock anunciou em agosto que aceitaria quase todas as principais criptomoedas, ao se associar com a ShapeShift, outra casa de câmbio. No entanto, as criptomoedas alternativas que a empresa manterá em seus livros  serão convertidas em Bitcoin.