Como Novos Bitcoins são criados? Um Breve Guia à Mineração Bitcoin

O Bitcoin é frequentemente comparado com o ouro, e um dos principais fatores de similaridade é a forma como ambos são obtidos. Da mesma forma que o ouro, novos Bitcoins são criados através do processo chamado "mineração".

Na verdade, a mineração de Bitcoin tem um duplo propósito: permite a criação de novas moedas e facilita o processamento de transações na rede.

Outro paralelo com o metal precioso é que há uma quantidade limitada de Bitcoins que podem ser extraídos: não mais do que 21 milhões de moedas. Em 2017, quase 17 milhões de Bitcoins já foram extraídos.

A mineração pode ser uma tarefa bastante competitiva, uma vez que novos Bitcoins são criados a uma taxa previsível e fixa. Essas taxas foram definidas por Satoshi Nakamoto, o criador da Bitcoin, no white paper publicado em 2008.

Quanto mais mineradores se juntarem à rede, mais difícil se tornará ter lucro para cada um deles. Por isso, os mineradores devem permanecer altamente competitivos para continuar recebendo Bitcoins como recompensa pela validação das transações.

O que você precisa para começar a explorar

A mineração Bitcoin é o processo de adicionar registros de uma nova transação ao Blockchain - o livro-razão geral de todas as transações que já ocorreram na rede Bitcoin.

Novas transações são adicionadas em lotes denominados "blocos" aproximadamente a cada 10 minutos, daí o nome Blockchain. O livro-razão é necessário para que os nós da rede Bitcoin sempre possam confirmar transações válidas.

Para se tornar um minerador de Bitcoin, uma pessoa precisa primeiro de um computador e um software de mineração - como o GUIMiner. Este programa usa os recursos do computador para realizar cálculos matemáticos complexos.

Quando um minerador consegue resolver seu problema de matemática, eles conseguem criar um novo bloco e receber um certo número de Bitcoins como uma recompensa, conhecida como "o bloco recompensa".

A cada 210.000 blocos, ou aproximadamente cada quatro anos, a recompensa do bloco é dividida pela metade. Começou em 50 Bitcoins por bloco em 2009, e em 2014 foi dividido para metade em 25 Bitcoins por bloco.

No entanto, a mineração em computadores pessoais só foi viável nos primeiros anos do Bitcoin. Agora a rede é tão competitiva que o uso de hardware especializado é a única maneira de obter lucro.

Os primeiros circuitos integrados ASICs - ou Application-Specific Integrated - foram introduzidos em 2013, projetados especificamente para fins de mineração desde o início.

Apesar da existência de tal equipamento especializado, a situação não se tornou mais fácil para os mineradores, já que novos e mais eficientes ASICs são liberados o tempo todo. E o problema do pagamento de contas de eletricidade só é exacerbado por novos hardwares famintos por energia.

Hoje em dia, existem muitas empresas proeminentes que projetam e produzem hardware de mineração. Entre eles, estão Bitfury e Bitmain. Você também pode encontrar equipamentos usados ​​no eBay ou Amazon.

Então, para recapitular, os mineradores usam seu hardware para verificar transações válidas, embalam-nos em blocos, resolvem problemas matemáticos durante o processo chamado "hashing" e, depois de obter uma solução correta, adicionam novos blocos ao Blockchain.

O que é 'hashing'?

O Bitcoin usa uma função hash criptográfica SHA-256 para encriptação. Este algoritmo permite que você tire dados de qualquer tamanho e converta-o em uma string de um tamanho específico, predefinido. A cadeia resultante é chamada de "hash", e o processo de aplicar a função hash a entradas aleatórias é chamado de "hashing".

É impossível prever o que o hash de qualquer entrada será até você realmente o calcular. O objetivo dos mineiradores é manter a alimentação da função hash com diferentes entradas até obter um valor de hash específico que esteja abaixo de um certo limite, que é chamado de "dificuldade” da rede.

A dificuldade é ajustada automaticamente a cada 2016 blocos - ou, aproximadamente, a cada 14 dias - de acordo com o crescimento ou encolhimento do poder computacional combinado da rede.

Se a rede se tornou mais poderosa nos últimos 2016 blocos, o valor da dificuldade diminui para tornar mais difícil encontrar um hash válido e vice-versa.

Considerando o imenso poder computacional que a rede Bitcoin atualmente emprega, leva trilhões de suposições geradas por computadores de todo o mundo até que o valor de hash direito seja encontrado por alguém. E se você é o primeiro a fazer isso - parabéns! Você acabou de minar um bloco e obteve uma recompensa de 12,5 Bitcoins.

Armadilhas a serem evitadas na mineração

Como com qualquer outra atividade, a mineração tem algumas dificuldades a serem evitadas. Vamos dar uma olhada em alguns erros geralmente comeridos por mineradores novatos:

  1. Você não deve começar a mineração sem preparações. Dado que é uma esfera altamente competitiva, a mineração lucrativa requer um planejamento e preparação detalhados. Muitos exemplos podem ser encontrados de pessoas, que compraram muito equipamento de hardware sem calcular todos os custos de execução e as prováveis ​​taxas de lucro. Depois de descobrir que eles não podem manter operações lucrativas com seus equipamentos, esses mineradores infelizes costumam revender tudo com um grande desconto. .

  2. Você também não deve seguir o hype e minar qualquer moeda que seja a mais moderna no momento. De vez em quando, uma moeda ou outra será superada e muitos novos mineiros começarão a entrar, incrementando a dificuldade de sua rede. Como resultado, a mineração torna-se muito difícil para todos, e quase ninguém consegue lucrar. Este cenário ocorreu recentemente com o Ethereum, por exemplo.

  3. O que você deve fazer é cuidar bem do seu PC. A mineração coloca uma enorme carga nos processadores do computador, que tem que ser executado em plena capacidade o tempo todo. Se feito sem cuidados adequados, isso pode causar mau funcionamento do hardware.

Em suma, a mineração é um negócio difícil e lucrativo para se envolver. Mas se você vai tentar - boa sorte para você!


Siga-nos no Facebook