Head do segundo maior banco da Rússia compara mineração à falsificação

Andrey Kostin, head do VTB, o segundo maior banco da Russia, comparou a mineração de criptomoedas com a falsificação, de acordo com informações divulgadas nesta última segunda-feira, 4 de fevereiro, pela agência de notícias russa TASS.

Ao falar com estudantes que participaram de um concurso educacional organizado pela empresa de tecnologia russa Yandex, Kostin disse:

“Eu não sou um grande fã do cryptoruble. Para mim, isso é um tipo de falsificação. Uma pessoa que está minerando [criptomoedas] é semelhante a alguém que está imprimindo dinheiro. Durante a euforia inicial, todos pensaram que tudo poderia ser pago com criptomoedas no dia seguinte, mas isso não aconteceu até agora.”

Kostin acredita que haverá um nicho de mercado relativamente pequeno para as criptomoedas no futuro, pois à medida que a indústria financeira global está ficando cada vez mais transparente, as holdings offshore estão gradualmente desaparecendo.

Além disso, o banqueiro acredita que não há como regular as criptomoedas da mesma forma que os mercados tradicionais são regulados. Se as criptomoedas se tornarem dominantes nos mercados financeiros, isso pode ser perigoso, concluiu Kostin.

No entanto, a presidente do conselho do VTB, Olga Dergunova, não compartilha a posição de Kostin. Em junho de 2018, Dergunova afirmou que o VTB estava pronto para trabalhar com ativos digitais. Além disso, ela disse que as criptos poderiam ser tratados em uma base semelhante as moedas fiat no futuro próximo.

Como relatado pelo Cointelegraph, a demanda por criptomoedas na Rússia é muito alta, mas os bancos não são capazes de atendê-la devido à falta de instrumentos regulatórios claramente definidos. Durante uma reunião a portas fechadas em setembro de 2018, vários bancos russos, incluindo Sberbank, Alfa-Bank e VTB, expressaram seu interesse em criptomoedas.

A legislação sobre criptomoedas e blockchain da Rússia passou pela primeira etapa de leituras no parlamento em março de 2018, mas foi devolvida para novas edições. No final de janeiro, o presidente da câmara alta do parlamento do país pediu aos legisladores que acelerassem os trabalhos nos  projetos relacionados à economia digital.