Uma plataforma que oferece 40 milhões de transações por segundo encontrou a chave para a adoção em massa do Blockchain?

Uma plataforma híbrida blockchain/DAG revelou planos ousados para atrair empresas a usar sua tecnologia - e diz que sua "velocidade, escalabilidade e segurança sem precedentes" tem o potencial de beneficiar empresas que lidam com uma alta frequência de transações.

Inicialmente, a BEXAM pretendia atender o mercado de criptomoedas como uma casa de câmbio híbrida que usava um algoritmo exclusivo para oferecer os melhores recursos de plataformas centralizadas e descentralizadas.

No entanto, a startup decidiu reorientar sua proposta após receber um feedback brilhante sobre sua tecnologia - afastando-se do já congestionado setor de casas de câmbio para capitalizar sua infraestrutura, que oferece tempos de bloco de 0,2 segundo e pode processar cerca de 40 milhões de transações por segundo.

A equipe por trás da BEXAM diz que, atualmente, as empresas enfrentam um dilema desagradável. Optar por uma plataforma centralizada significa que elas correm o risco de serem expostas a vulnerabilidades de segurança. Porém, alternativas descentralizadas apresentaram a desvantagem de serem lentas - com baixas velocidades e falta de escalabilidade, tornando-as impraticáveis para uso em um nível maior.

Explicando seu raciocínio

A BEXAM planeja oferecer soluções sob medida para empresas de nível empresarial - e acredita firmemente que o blockchain tem o potencial de se tornar o coração da sociedade tradicional.

Seus executivos acreditam que o direcionamento de grandes empresas criará um efeito de economia de gotejamento, no qual o blockchain se torna cada vez mais relevante. Ao expor um número maior de empreendedores a seu potencial e ao provar o que a tecnologia tem a oferecer, a BEXAM acredita que “os usos relevantes e cotidianos do blockchain [vão] emergir cada vez mais”.

Uma reconsideração de sua organização resultou em uma nova marca - com um novo logotipo e um site atualizado que informa os visitantes sobre seus objetivos para o futuro.

Explicando a ousada decisão de se afastar de seus planos originais, a empresa escreveu em um post de blog: “As casas de câmbio estavam disponíveis por todos lados e, embora nossa tecnologia fosse definitivamente significativa, não havia muitos outros fatores que nos colocasse à frente dos outros na competição.

"Se caíssemos para o mar das casas de câmbio, seríamos simplesmente varridos e o potencial de nossa tecnologia nunca seria verdadeiramente revelado".

Apesar da mudança de foco, a BEXAM enfatiza que dará as boas-vindas às startups “com uma filosofia e desejo semelhantes de construir aplicativos” usando sua plataforma.

Uma estrutura de rede única

De acordo com a empresa, as velocidades vertiginosas que a rede da BEXAM é capaz de atingir são graças a um algoritmo de consenso conhecido como Proof of Rounds (PoR), que foi desenvolvido por uma equipe de engenharia japonesa.

O algoritmo PoR da BEXAM gera blocos em ordem e não aleatoriamente, além de funções baseadas em uma hierarquia de Nós Mestres, Super Nós e Nós Normais. Ele também otimiza a produtividade do nó como resultado da alocação de tarefas/especializações hierárquicas para os nós.

DAG é a sigla em inglês para “gráfico acíclico direcionado” - e, de acordo com o livro branco da BEXAM, a estrutura de rede dessa tecnologia diferenciada significa que “o número de nós em cada camada aumenta automaticamente, permitindo que informações sejam transmitidas sem grande redução de velocidade”.

A BEXAM forneceu uma tabela que compara o número máximo de transações por segundo que ele pode manipular com outros sistemas. Enquanto o Bitcoin pode gerenciar 7 transações por segundo (TPS) e o Ethereum 20 - com os principais concorrentes, como PayPal e VISA, gerenciando 450 e 56.000 TPS respectivamente - o algoritmo da BEXAM pode lidar com 40 milhões.

O algoritmo Proof of Rounds foi criado por uma empresa de desenvolvimento conhecida como Early Works e a BEXAM tem um contrato de parceria exclusiva para construir uma plataforma baseada nesse conceito.

Um token que é nativo do ecossistema da BEXAM, conhecido como BXA, servirá como uma forma de as empresas pagarem taxas de uso de rede e taxas de transação.

Uma venda privada de toke para o BXA será realizada de 19 a 29 de novembro, com uma venda pública IEO a ser anunciada em breve.

Aviso legal. A Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você todas as informações importantes que poderíamos obter, os leitores devem fazer sua própria pesquisa antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir total responsabilidade por suas decisões. Este artigo não pode ser considerado como um conselho de investimento.