Hackers recomendam a usuários migrarem a países mais liberais e usarem criptomoedas

Um grupo de hackers reunido em Praga, na República Tcheca, defenderam que as novas criptomoedas servirão como instrumento para levar o mundo contemporâneo a uma "sociedade paralela mais livre que a atual". A matéria foi publicada no portal da revista Istoé nesta sexta-feira (4).

O congresso, batizado de "Leave the System", reúne artistas, traders, hackers, "nômades digitais", ativistas e criptoanarquistas. Os organizadores defendem que usar a tecnologia criptográfica é necessário hoje em dia para "recuperar a vida privada, preservar a liberdade e libertar-se dos laços".

Segundo o fundador da empresa de proteção de dados Cryptohippie, "no momento atual da história, é realmente importante ter uma identidade separada, viver uma existência paralela", defendendo que as pessoas mudem para países mais liberais do que o que elas vivem atualmente e adotem criptomoedas:

"Diante de nossos olhos, um novo sistema econômico está nascendo, do nada. [...] A primeira transação foi de dez BTCs para uma pizza. Agora temos uma moeda global que resistiu a ataques enormes, muito desprezo e ódio. Aguente o golpe."

Apesar da imagem negativa global, os hackers também prestam serviços importantes para a comunidade cripto, participando de programas de recompensas que buscam identificar e resolver falhas de proteção em provedores e blockchains.

Recentemente, um usuário do Hackerone revelou falha crítica através de programa de recompensas da MakerDAO, como noticiou o Cointelegraph.