Hackers invadiram sistemas de 30 órgãos públicos em Portugal neste ano para pedir resgate em BTC

Hackers teriam invadido sistemas de 30 órgãos públicos em Portugal em 2019, pedindo muitas vezes pagamento de resgate em Bitcoin (BTC). A informação foi publicada pelo Jornal de Notícias em 22 de outubro.

Segundo a publicação portuguesa, os hackers "atacaram sistemas informáticos de câmaras municipais, juntas de freguesias e agrupamentos de escolas, para depois exigir um resgate".

Os hackers invadiram os sistemas usando técnicas diversas, entre elas e-mails aos funcionários da empresa, instalando vírus ransomware para bloquear o acesso. Eles pedem então o pagamento de uma recompensa para liberar os dados.

"Depois de entrar no sistema e bloquear o acesso, o hacker pede um resgate, muitas vezes em Bitcoins", diz o Jornal de Notícias, que estima que os hackers pediam entre 20 a 30 mil euros às vitimas.

Na matéria, o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) de Portugal diz que foram 21 casos de ataques de ransomware, incluindo entre as vítimas a Câmara Municipal de Vinhais, que estaria há uma semana tentando recuperar seus arquivos. O prejuízo já seria de seis mil euros.

Já a Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica investiga 30 casos, um deles na cidade de Bragança.  Segundo o portal O Observador, os crimes informáticos em Portugal diminuíram de 2017 para 2018, passando de cerca de 1.000 para 900, segundo dados do RASI.