Governo da Abecázia corta a energia elétrica de 15 instalações de mineração de criptomoeda

O governo da República da Abecázia cortou o fornecimento de energia para algumas fazendas de mineração de criptomoedas devido a preocupações com a eletricidade, anunciou a concessionária estatal de energia elétrica Chernomorenergo RUE em um post no Facebook em 31 de dezembro.

De acordo com o anúncio, a Chernomorenergo cortou a energia de 15 instalações, com uma capacidade total de 8.950 quilowatts-hora (kWh), o que supostamente equivale ao consumo de eletricidade de 1.800 residências. Os cortes foram feitos como parte de uma série de “medidas temporárias para limitar o consumo de eletricidade por certas categorias de assinantes.” A Chernomorenergo também observa que, após os cortes, os proprietários das fazendas de mineração mostraram compreensão e colaboração.

Reguladores em todo o mundo expressaram preocupações com o consumo de eletricidade da indústria de mineração de criptomoeda. Em novembro, a Noruega encerrou a política de subsídios de eletricidade para as instalações de mineração de Bitcoin (BTC). O deputado do Partido da Esquerda Socialista (SV) Lars Haltbrekken afirmou que "a Noruega não pode continuar a oferecer enormes incentivos fiscais para a forma mais suja de produção de criptomoeda [Bitcoin], que requer muita energia e gera grandes emissões de gases de efeito estufa globalmente".

Nos EUA, o Distrito de Utilidade Pública do Condado de Chelan, no estado de Washington, propôs uma nova estrutura de precificação de eletricidade para os mineradores de criptomoedas, destinada a reduzir o custo do aumento da demanda por eletricidade. O distrito “está abordando (a estrutura tarifária) de uma maneira que capta o custo e protege o investimento para os clientes que já estão aqui e investiram muito em nosso sistema”.

Conforme relatado pela Cointelegraph em outubro, as receitas da mineradores de Bitcoin nos primeiros seis meses de 2018 haviam superado os resultados em 2017, mas as próprias mineradoras tiveram pouco lucro, de acordo com revista semanal de cripto Diar. Naquela época, as recompensas e taxas para as mineradoras de BTC já haviam atingido US $ 4,7 bilhões nos três primeiros trimestres de 2018, cerca de US $ 1,4 bilhão a mais que os lucros de 2017. Mineradores supostamente ainda ganhavam 54 mil Bitcoin por mês.

Em dezembro, os mineradores chineses se tornaram os maiores vendedores a descoberto de Bitcoin, tanto local como internacionalmente, após um aumento no número de operações de cobertura no atual mercado de baixa. O declínio severo do mercado de criptomoedas supostamente fez com que os mineradores da nova geração começassem a fazer cobertura de suas moedas para evitar riscos de mercado.