Google suspende MetaMask da Play Store citando "serviços fraudulentos"

O Google retirou o client de Ethereum (ETH) e browser de carteira e app descentralizado (DApp) do client de Android da Metamask da Play Store.

A equipe do MetaMask foi ao Twitter em 26 de dezembro, anunciando que o Google havia suspendido o cliente Android do MetaMask na loja de aplicativos do Google Play, alegando que o MetaMask estava violando as políticas de serviços financeiros do Google.

O Google citou sua política de proibição de mineração de criptomoeda em dispositivos móveis. A equipe do MetaMask tentou apelar da decisão do Google de proibir o MetaMask de sua loja de aplicativos sem sucesso, pois o Google prontamente rejeitou o recurso. O desenvolvedor co-líder do MetaMask, Dan Findlay, disse ao Cointelegraph:

“Espero sinceramente que tenha sido um erro honesto da parte dos revisores do Google, mas, combinado com todas as proibições de criptomoedas do YouTube, isso definitivamente me coloca em dúvida sobre como o Google está se engajando em tecnologias de descentralização. Se as pessoas aceitarem esse comportamento de um monopólio como o Google, talvez não mereçamos algo melhor. ”

Projeto MetaMask reclama de falta de apoio da ConsenSys

Apenas algumas horas atrás, um colaborador do MetaMask relatou em um post do Reddit que a equipe do MetaMask não está recebendo o suporte necessário da ConsenSys e, consequentemente, toda a equipe de 24 funcionários está sobrecarregada. A postagem diz:

"Não se pode acompanhar o desenvolvimento por meio do rastreador público de problemas, simplesmente porque a equipe usa um rastreador interno e "reuniões "internas. Isso não é transparente. Isso não é descentralizado. MetaMask é uma peça crítica do Ethereum que move valores. Está escrito em JavaScript, quase completamente sem tipo. O código é de baixa qualidade, cheio de dívida técnica (ambos, em termos de código e arquitetura). ”