‘Google Coin’ dentro de dois anos e os FANGs terão suas criptos, dizem Winklevoss

A moeda digital fará parte das ofertas de todas as quatro empresas do FANG até 2021, disseram Tyler e Cameron Winklevoss à CNBC em uma entrevista de 9 de julho.

Falando sobre o Libra do Facebook, os gêmeos, que cofundaram a plataforma de negociação de criptomoedas Gemini, disseram que era apenas uma questão de tempo antes que outros gigantes da tecnologia fizessem o mesmo.

O FANG refere-se ao "Big Four" não oficiais da internet: Facebook, AmazonNetflix e Google.

"Nossa previsão é que cada empresa do FANG terá algum tipo de projeto de criptomoeda nos próximos dois anos", disse Tyler à rede.

O Libra como um protocolo de pagamento ainda não foi lançado, mas os reguladores expressaram preocupação, particularmente nos Estados Unidos, onde várias autoridades exigiram que os desenvolvedores interrompessem o projeto.

Preocupações derivam do potencial do Libra de contornar o sistema bancário, algo que os proponentes da criptomoeda argumentam que, inversamente, deixa o establishment bancário inquieto com a perda de receita.

Nesta quinta-feira, o próprio Bitcoin (BTC) perdeu mais de 10% de seu valor após um legislador sênior dos EUA apresentar novas preocupações sobre o Libra.

Para os Winklevosses, no entanto, as principais abordagens para os reguladores são fundamentais para obter qualquer oferta de financiamento disruptivo ao mercado.

Embora muitos digam que ele não é uma criptomoeda, os gêmeos chegaram a sugerir que facilitariam o comércio do Libra na Gemini, caso ele fosse aberto e não estivesse sujeito a restrições proibitivas.

"... Avaliaremos o Libra com seriedade e pode ser um recurso listado um dia. Se for um protocolo aberto, isso é possível,” continuou Tyler.

No início desta semana, Tom Lee, um defensor serial do Bitcoin, divulgou uma previsão semelhante em relação ao futuro envolvimento dos gigantes da tecnologia no setor de exchange digital.

"O fato de que o Facebook e provavelmente outras empresas do FANG vão criar suas próprias moedas digitais está validando a ideia de que o dinheiro digital veio para ficar", disse ele à CNBC.