O co-fundador do Google Sergey Brin revela que ele é um minerador Ethereum

 

O co-fundador do Google, Sergey Brin, fez a revelação surpresa de que ele é um minerador da Ethereum (ETH) na Blockchain Summit, no Marrocos, no domingo, 8 de julho.

Atualmente, Brin é o presidente da Alphabet, empresa-mãe do Google, que foi formada como parte da reestruturação da gigante de tecnologia em 2015, mas sua "side hustle" aparentemente está minando a segunda maior criptomoeda do mundo, Ethereum, junto com seu filho de 10 anos.

Brin atribuiu o sucesso do mecanismo de busca e serviços de e-mail do Google a levar a sério as possibilidades de tecnologias emergentes - reconhecendo um potencial "salto" - algo que ele acreditava que os desenvolvedores e mentes por trás do espaço cripto também acreditavam.

O bilionário do Google passou a dizer que as criptomoedas - que espalharam a cripto de chaves públicas pela web e criaram algoritmos de consenso como prova de trabalho (PoW) - são “espantosas”. A rede global de criptomoedas, levada a sério, é "extraordinário."

Brin também destacou o conceito de provas de conhecimento zero que sustentam altcoins orientados ao anonimato, como o ZCash - cujas contas ele admitiu não ser capaz de seguir - como novamente, "incompreensível".

"Eu vejo o futuro como tendo essas idéias ... de pesquisa, e tornando-as reais", disse ele.

Na Carta dos Fundadores da Alphabet em 2017, Brin atribuiu as criptomoedas principais, como a Ethereum, como sendo um fator importante no atual “boom da computação”.

O Google, por sua vez, anunciou a proibição da propaganda por criptomoedas em março, que entrou em vigor em 1º de junho, e foi duramente criticado. Brin reconheceu ontem que a empresa “fracassou” em estar no “limite” quando se trata de abraçar a criptomoeda.

A Ethereum (ETH) é a segunda maior criptomoeda desde o tempo da imprensa, com um valor de mercado de cerca de US $ 44,5 bilhões.