Goldman Sachs diz que Bitcoin "não é fraude", planos para negociar

O Goldman Sachs disse que o Bitcoin "não é fraude", uma vez que revelou planos para comprar e vender criptomoeda, infromou o New York Times em 2 de maio.

Em um movimento que diferencia o gigante dos bancos de investimento de seus concorrentes de Wall Street, o Goldman inicialmente oferecerá vários contratos com exposição ao Bitcoin antes de entrar com os dois pés no acelerador na pista de operações.

Comentando sobre a decisão, Rana Yared, uma executiva envolvida na criação das ofertas, disse que o banco estava "inundado" com pedidos de clientes.

“Isso ressoa conosco quando um cliente diz: 'Eu quero ter Bitcoin ou futuros de Bitcoin porque acho que é uma reserva de valor alternativa'”, disse ela à publicação.

"... Não é um risco novo que não entendemos. É apenas um risco maior que precisamos estar mais conscientes por aqui.”

Ela acrescentou que o Goldman "concluiu que o Bitcoin não é uma fraude", uma declaração comovente em uma indústria na qual a infame descrição do Bitcoin pelo CEO do concorrente JPMorgan, Jamie Dimon, ainda ressoa.

No entanto, até mesmo o CEO do Goldman, Lloyd Blankfein, declarou publicamente que o Bitcoin “não é para ele” durante os momentos de preços em altas de todos os tempos em dezembro de 2017, e Yared apareceu rapidamente para dissipar quaisquer mitos de que o banco fosse um credor de Bitcoin.

"Eu não me descreveria como uma verdadeira crente que acorda pensando que o Bitcoin vai dominar o mundo", acrescentou ela.

"Para quase todo mundo envolvido, houve ceticismo pessoal trazido à mesa."