Autoridade financeira alemã: regulamentação cripto se concentrará na estabilidade do mercado, não em indivíduos

Felix Hufeld, presidente da Autoridade Federal de Supervisão Financeira na Alemanha (BaFin), disse que o papel principal de sua autoridade reguladora não é a proteção individual dos investidores, mas a preservação da estabilidade financeira geral, informou hoje a Cointelegraph auf Deutsch em 12 de junho.

Embora o papel da BaFin seja proteger os consumidores e manter a estabilidade geral do mercado financeiro, Hufeld afirmou que só pode abordar riscos sistêmicos e não pode proteger todos os investidores de “seu destino” Hufeld explicou:

"É por isso que alertamos as ICOs em novembro, apontando a alta volatilidade dos preços dos criptos. Não poderemos proteger cada investidor de seu destino, e essa não pode ser a tarefa da supervisão do Estado. Mais uma vez, a máxima é que devemos agir de forma prudente ou regular se a estabilidade financeira como um todo estiver ameaçada ou se os consumidores forem sistematicamente prejudicados".

Embora Hufeld tenha caracterizado a tecnologia blockchain como um disruptivo, ele acrescentou que seu verdadeiro potencial permanece para ser visto em algum momento no futuro. Ele relembrou o famoso erro de julgamento do então CEO da Microsoft, Bill Gates, em 1991, no qual Gates descreveu a Internet como exagerada, apenas para reconhecer as oportunidades sem limites alguns anos depois.

Hufeld não respondeu conclusivamente à questão de saber se Bitcoin e blockchain são apenas um assunto de exagero, ou uma força que poderia mudar significativamente os mercados financeiros. No geral, Hufled desenhou uma imagem relativamente positiva da tecnologia blockchain:

"O potencial disruptivo desta tecnologia, no entanto, vai além de economizar custos. Modelos de negócios completamente novos podem surgir que nem você nem eu pensamos hoje. E todos os dias, muitas pessoas estão trabalhando para encontrar outros usos para o blockchain e usar a tecnologia em uma grande área”.

Hufeld continua cético em relação às criptomoedas, dizendo que seu uso potencial em permitir lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo é um “pior caso”. Ele acrescentou que a BaFin deveria cooperar e colaborar com outros reguladores em todo o mundo e lutar por "padrões globais e padrões de supervisão acordados internacionalmente".

Em abril, Hufeld pediu por regulamentos cautelosos sobre criptomoedas no discurso de abertura da conferência BaFin-Tech 2018. Ele disse que o regulamento blockchain deve limitar os riscos sem diminuir as oportunidades que ele traz.