Uso de 'gas' na rede Ethereum atinge alta histórica e rede enfrenta problemas de escalabilidade

Segundo dados do site Etherscan durante a última semana, a rede Ethereum ficou congestionada e atingiu o máximo histórico de quase 52 bilhões de unidades de gas.

Gas é a unidade utilizada para medir as taxas de transações da rede Ethereum. Quanto mais gas uma transação demanda para ser processada, mais caro fica realizar esta transação.

O aumento no congestionamento da rede aconteceu mesmo depois que os mineradores aumentaram o limite de gás de bloco de 8 milhões para quase 9,4 milhões, com uma meta de 10 milhões.

Essa alteração reduziu as taxas de transferência da rede para menos de 10 centavos, mas um contrato inteligente de um jogo de apostas está agora ocupando 57% de toda a capacidade da rede.

Ainda não se sabe quando o jogo vai parar de exigir tanto da rede. Por funcionar através de contratos inteligentes, o jogo demanda muito mais capacidade de gas do que simples transações de Ether.

O número total de transações não aumentou, com o Ethereum ainda permanecendo um pouco limitado em capacidade - a rede está apresentando uma demanda maior que a capacidade de transações que pode realizar.

O número de transações pendentes na rede ainda não mudou muito de 100.000, mesmo nos momentos que a capacidade de processamento da rede aumenta.

Essa situação pode continuar por pelo menos mais um ano, não ficando claro porque certos contratos inteligentes de jogos não estão usando segundas camadas baseadas em snarks - uma tecnologia que permite realizar transações fora da rede principal do Ethereum.

Segundo desenvolvedores da rede, esta é apenas uma situação temporária até que o "sharding" seja lançado. A união da nova tecnologia "sharding" com o lançamento da atualização "Istambul", talvez no final deste outono, pode melhorar o problema de espaço na rede.

A rede Ethereum está tentando de todas as formas superar o problema de escalabilidade. Conforme publicado pelo Cointelegraph, Joe Lubin - cofundador do Ethereum e CEO da Consensys - e Vitalik Buterin falaram recentemente sobre o desenvolvimento do projeto em uma conferência em Tel Aviv.