Porta-voz do Fed adverte contra criptomoeda, sugere bancos como solução

Em um discurso durante a Financial Stability and Fintech Conference, vice-presidente de supervisão, Randal K. Quarles deixou claro que a posição do Federal Reserve (Fed) sobre criptomoedas é de extrema cautela. Em vez disso, Quarles sugere que o governo faça parceria com os atuais sistemas bancários  para criar soluções em resposta à onda de pagamento digital.

O aviso veio quando o regulador considerou as possíveis implicações das moedas digitais em tempos de crise. Recordando corridas em grandes bancos e os motivos para a fundação do Federal Reserve, Quarles deixou claro que a falta de supervisão sobre criptomoeda deve desestabilizar as instituições financeiras. Ele disse:

"Embora essas moedas digitais não representem grandes preocupações em seus atuais níveis de uso, problemas de estabilidade financeira mais sérios podem resultar se conseguirem um uso em grande escala. A gestão de riscos pode atuar como mitigador, mas se o recurso central em um sistema de pagamento não puder ser reembolsado de forma previsível pelo dólar norte-americano a uma taxa de câmbio estável em tempos de adversidade, o risco de preço resultante e o potencial risco de liquidez e crédito representam um grande desafio para o sistema".

Fed e bancos trazem estabilidade

Além do simples aviso sobre as moedas digitais descentralizadas, o supervisor deixou claro que ele também advertiria fortemente contra uma moeda digital governamental, observando que, se muitos usuários mudarem para tais sistemas descentralizados, os bancos podem perder a liquidez necessária para emprestar dinheiro, fazer pagamentos, etc.

Em vez disso, ele indicou que as estruturas de pagamento dentro do sistema bancário melhoraram muito desde uma perspectiva tecnológica. Além disso, à medida que os bancos continuam buscando outras inovações para melhorar a metodologia de pagamento, o Fed continuará a parceria com eles para produzir estabilidade e segurança. Ele disse:

"Trabalhando cooperativamente, participantes do setor privado e bancos centrais podem incorporar inovações que possam encontrar o equilíbrio certo de melhorar as redes técnicas sem gerar preocupações de estabilidade financeira".