Fontes do Facebook dizem que white paper da stablecoin sai em 18 de junho

Múltiplas fontes esperam que o Facebook sua stablecoin em 18 de junho, informou a revista de tecnologia financeira e TI TechCrunch em 6 de junho.

Citando pessoas familiarizadas com os planos, a publicação reforçou as sugestões existentes, tanto dentro como fora da empresa, de que seu projeto secreto de criptomoeda apareceria neste mês.

Anteriormente, rumores haviam sugerido que 2020 chegaria antes de o Facebook assumir o compromisso de lançar seu produto, que deveria se concentrar em remessas, para o mercado.

"Está programado para 18 de junho o lançamento de um white paper explicando os fundamentos da criptomoeda", afirma a TechCrunch.

Essa data também veio de Laura McCracken, Chefe de Serviços Financeiros e Parcerias de Pagamento do Facebook para a Europa Setentrional, que disse em uma entrevista à revista alemã de finanças Wirtschaftswoche nesta semana que a stablecoin não envolveria apenas uma paridade com o dólar americano.

"O valor do Facebook Coin será garantido por uma cesta de moedas fiduciárias", disse ela à publicação.

O Facebook causou agitação na indústria com seu ruído sobre a entrada no setor de pagamentos. Não apenas a plataforma de mídia social, mas as empresas irmãs WhatsApp e Instagram também participariam, disseram executivos.

As críticas a esses projetos, porém, continuam. As mais recentes vêm da agência norte-americana Weiss Ratings, que em um post dedicado afirmava que o objetivo final das empresas de tecnologia não era ampliar o apelo à criptomoeda, mas afastar os negócios dos bancos.

“A longo prazo, o Bitcoin e outras criptomoedas estão agora em um mercado de alta a longo prazo. E uma das principais razões é seu poderoso potencial para realmente disromper o sistema financeiro como o conhecemos hoje”, escreveu o desenvolvedor Juan Villaverde.

“Ainda assim, muitos analistas não veem assim. Eles acham que aplicativos como o Apple Pay, Google Pay e Alipay podem desafiar o sistema financeiro global, até mesmo 'substituindo bancos' por suas novas plataformas de pagamento." O post observou:

“Eu acredito que é uma ilusão coletiva. Verdade seja dita, eles não estão substituindo bancos; eles estão se tornando bancos.”