O ex-jogador de futebol do Liverpool, Michael Owen, emite seu

O ex-astro do futebol de Liverpool, Michael Owen, fez uma parceria com a Global Crypto Offering Exchange (GCOX) baseada em Cingapura para emitir sua criptomoeda OWN coin, segundo relatado pela Bloomberg em 21 de Março.

Os tokens OWN, que serão lançados no próximo trimestre, seriam usados para comprar mercadorias ou fazer doações para instituições de caridade escolhidas pelos atletas. OWN também será conectado aos centros de futebol que Owen está desenvolvendo, além de tutoriais do ex-jogador.

A jogada segue a do boxeador filipino e político Manny Pacquiao, que se tornará a primeira celebridade a lançar seu token na plataforma, apelidada de PAC coin, segundo informado pela Inquirer em 13 de Março.

A GCOX é uma startup baseada em Blockchain que permite que as celebridades criem suas próprias moedas digitais chamadas de “Celebrity Tokens” que podem ser usadas pelos fãs para pagar pelo conteúdo exclusivo das estrelas. De acordo com o Bitcoin Exchange Guide , a ideia de criar o GCOX surgiu pela primeira vez em Fevereiro de 2017. Os criadores afirmam que o projeto é "a primeira casa de câmbio virtual do mundo a ajudar celebridades a criar e listar suas próprias criptomoedas". Enquanto isso, há jogadores parecidos, como o TokenStars , que chamam a si mesmos de “a primeira empresa de Blockchain a "tokenizar" celebridades”.

Celebridades em todo o mundo continuam criando suas próprias moedas digitais, apesar das advertências da comissão de valores mobiliários e câmbio dos EUA (SEC), segundo a qual as ICOs endossadas por celebridades poderiam ser ilegais, como relatou em Novembro de 2017.

Em 7 de Março, os reguladores de Nova Jersey enviaram um pedido de cessação e desistência aos organizadores da ICO Bitcoiin2Gen (B2G) endossados por Steven Seagal em Fevereiro. Em 6 de Março , Young Dirty Bastard, o filho do falecido rapper e produtor Ol 'Dirty Bastard do Wu-Tang Clan, anunciou que está lançando sua própria criptomoeda Dirty Coin (ODB).