Ex-funcionário processa operadora do Zcash em processo de US$ 2 milhões por ações não pagas

A empresa por trás da criptomoeda Zcash (ZEC) está enfrentando um processo legal de US$ 2 milhões por ações não pagas, como confirmam documentos registrados em 29 de maio.

De acordo com a queixa, que apareceu para a Suprema Corte da Califórnia no Condado de San Francisco, um ex-empregado alegou não ter recebido cerca de US$ 15.000 em ações em 2016.

Simon Liu trabalhou na Zerocoin, agora conhecida como Electric Coin Company, e diz que a empresa não estava legalmente autorizada a oferecer seus ativos.

“O Autor está informado e acredita, e por isso alega, que a Zerocoin não tinha autorização para emitir ações ordinárias aos empregados em 2016, e que os Réus, e cada um deles, sabiam que a Zerocoin não possuía tal autorização”, diz o document.

Pedidos de vistas nos documentos da empresa também foram negados, diz Liu.

Nem a Zerocoin nem o CEO Zooko Wilcox deram declarações públicas sobre a disputa até o momento.

A mudança de nome de Zerocoin para Electric Coin Company aconteceu em fevereiro, e o motivo teria sido para evitar confusão entre o Zcash e a fundação sem fins lucrativos Zcash Foundation.

O Zcash é atualmente negociado em $79 e tem capitalização de mercado um pouco abaixo dos US$ 600 milhões. Sua alta histórica remete a janeiro de 2018, quando uma moeda chegou a valer perto de US$ 900.

Um dispositivo dedicado ASIC para o Zcash e outras moedas Equishash, desenvolvido pela gigante de mineração de criptomoedas Bitmain, apareceu em março deste ano.

Em outro caso em abril, um ex-funcionário da exchange cripto Kraken também processou a exchange em US$ 900.000, alegando não ter recebido uma comissão prometida e opções de ações.