Europol: Zcash, Monero e Ethereum seguem o Botcoin no cibercrime

A Europol, órgão de aplicação da lei da União Europeia (UE), advertiu que as moedas virtuais Zcash, Monero e Ethereum estão sendo cada vez mais usadas no mercado digital subterrâneo. A agência, no entanto, reiterou que a criptomoeda moeda líder Bitcoin ainda é a moeda preferida no cibercrime.

No relatório de avaliação de ameaças do crime organizado da Internet de 2017 (IOCTA), a Europol afirmou que a paisagem darknet está evoluindo rapidamente. A agência concluiu que o Monero está ganhando rapidamente popularidade na darkweb devido às "características adicionais de segurança e privacidade", tornando-se uma das escolhas simples de criptomoeda para criminosos.

Parte do relatório diz:

"As criptomoedas continuam a ser exploradas pelos cibercriminosos, sendo o Bitcoin a moeda escolhida nos mercados criminais e, como pagamento para extorsões relacionadas com o cibernético, como o Ransomware ou um ataque DDoS. No entanto, outras criptomoedas como Monero, Ethereum e Zcash estão ganhando popularidade dentro do subterrâneo digital ".

O relatório detalhou ainda mais o principal motivo pelo qual as criptomoedas estão se tornando as favoritas entre os criminosos:

"As transações não podem ser atribuídas a nenhum usuário/endereço específico, todas as moedas usadas em uma transação são" ocultas "por padrão e os históricos de transações são mantidos em seguras."

Outros destaques do relatório IOCTA

Em seu relatório, a Interpol enfoca a popularidade das moedas digitais em mercados da darkweb. Como exemplo, cita o caso de um ransomware focado em Monero chamado Kirk, que foi lançado no início de 2017.

No caso do Ethereum, o relatório afirmou que os contratos inteligentes baseados na criptomoeda poderiam ser utilizados para legalizar os pagamentos entre prestadores de serviços criminais. Ele também apresentou um caso de um mercado de darknet descentralizado proposto e projetado para operar no Ethereum Blockchain.

Enquanto isso, o documento esclareceu que o Zcash ainda não deve ser objeto de uma investigação policial. No entanto, a moeda virtual está sendo observada pelos mercados darknet devido aos seus recursos de privacidade, que escondem o destinatário da transação e o valor da transação.

O caso do AlphaBay

O maior mercado Darknet AlphaBay foi fechado pela Europol no início de 2017. O encerramento foi parte de uma repressão coordenada globalmente nos mercados subterrâneos. No entanto, antes de seu desligamento, o AlphaBay já havia adicionado Ethereum e Monero como opções de pagamento e anteriormente tinha planos para incluir o Zcash.

Embora qualquer moeda possa ser associada a qualquer atividade criminosa, tais problemas de segurança com criptomoedas fornecem uma desculpa fácil para os órgãos de governo serem continuamente céticos quanto ao possível valor e segurança das moedas digitais.


Siga-nos no Facebook