Jibrel, que é apoiada no Ethereum, visa conter a bolha de ICO com um novo tipo de token inteligente

O mundo árabe finalmente começou a entrar no embalo e aceitar a tecnologia Blockchain como uma realidade inovadora. Nós recentemente publicamos um relatório de Dubai, onde em uma tentativa PR da década, uma empresa imobiliária chamada Aston Plaza Crypto fez parceria com a BitPay para vender propriedades por Bitcoin no Science Park de Dubai, um distrito a 20 minutos do centro de Dubai.

Aqui em Dubai, nos sentamos com Talal Tabbaa da Jordânia, que é um dos cofundadores da Jibrel.

Inicialmente, os fundadores da Jibrel (Victor Mezrin, Talal Tabbaa e Yazan Barghouthi) estavam desenvolvendo uma solução de remessa Blockchain para trabalhadores migrantes que trabalhavam no Golfo Pérsico enviar dinheiro para casa, mas os equívocos, problemas regulatórios e a volatilidade do Bitcoin e do Ethereum não contribuíram bem com o mercado regional.

"As criptomoedas forneceram o método mais eficiente de transferir valor, mas não era a melhor quantidade de valor", explica Talal.

Entre no boom da ICO

Depois que as ICOs começaram a acumular fortunas maciças em BTC e ETH, os riscos regulatórios e sistemáticos tornaram-se muito evidentes: era necessária uma maneira estável de armazenar o valor na cadeia.

Depois de ter várias discussões com bancos nos Emirados Árabes Unidos e Jordânia, bem como bancos na Europa Ocidental e nos EUA, Talal Tabbaa e Yazan Barghouthi decidiram desenvolver a Rede Jibrel.

A idéia gradualmente evoluiu para colocar ativos tradicionais no Blockchain. Os ativos tradicionais seriam então tokenizados sob a forma de "Receitas de cripto depósito" apoiados por um banco de físico ou instituição financeira, permitindo que as regulamentações do mundo real fossem codificadas sob a forma de um contrato inteligente programável.

Eventualmente, o objetivo seria alavancar a tecnologia Blockchain e a criptomoeda para automatizar e descentralizar completamente o banco de consumo/varejo tanto nos países em desenvolvimento como nos mercados ocidentais.

A Jibrel em poucas palavras

De muitas maneiras, a Jibrel deve ser o que Ethereum foi para Bitcoin. A diferença é que a Jibrel permitirá que a PwC seja auditada, tokens e instrumentos compatíveis com KYC/AML sejam negociados de forma descentralizada como tokens do ERC-20 no Ethereum Blockchain, na sequência das recentes controvérsias e transferências bancárias congeladas.

Em uma região governada por acordos em dinheiro vivo e burocracia, a Rede Jibrel permitirá que entidades e empresas tokenizem ativos tradicionais do mundo real através de Crypto Depository Receipts (CryDRs - Recibos de Cripto Depósitos, em tradução livre). Os CryDRs são o que a Jibrel explica como "a próxima geração de 'tokens inteligentes' descentralizados que estão incorporados às regras e regulamentos do mundo real".

Os investidores podem integrar dinheiro e instrumentos do mercado monetário aos CryDRs e vendê-los na cadeia e os bancos ou instituições financeiras se beneficiarão da arbitragem dentro e fora da cadeia, para facilitar a liquidez da classe institucional para fluir para a criptoeconomia na forma de dinheiro e do mercado monetário apoiado em tokens. Isso permite que organizações e fundos autônomos descentralizados diversifiquem suas posses de criptos em ativos mais estáveis, como USD, GBP, EUR, CNY, AED, RUB ou títulos de tesouro dos EUA.

Jibrel vs Tether

Como ele se apresenta, o tether.to exige uma centralização com a dependência do banco tradicional. Seus termos de serviço não garantem que os consumidores redimirão o dólar subjacente, o que está levando a sérios problemas para os detentores do USDT, e possivelmente as casas de câmbio que negociam o token.

Para enfrentar isso, a Rede Jibrel manteve uma relação de um-para-um em relação ao valor e correlação, atuando como um mediador entre os bancos – que detêm o fiduciáro – e o Blockchain.

Simplificando, em conexão, os usuários compraram USDT diretamente de uma casa de câmbio, enquanto que na Jibrel, compra-se JNT e, em seguida, usa-se essa opção para comprar tokens de ativos garantidos (CryptoDepository Receipts - CryDRs) da Jibrei DAO.

Este artigo faz parte de uma mini-série que derrama luz sobre notícias, start-ups e casas de câmbio relacionadas à fintech no Oriente Médio.